Jornal Médico Grande Público

Centro de Saúde de Évora estreia edifício
DATA
03/03/2009 04:54:44
AUTOR
Jornal Médico
Centro de Saúde de Évora estreia edifício

O Centro de Saúde de Évora tem, desde o passado dia 9 de Fevereiro, um novo edifício. O antigo, remodelado, vai ser sede de mais uma unidade de saúde familiar, a USF Salus/Chafariz d´El Rei. É a terceira de Évora e a quarta do Alentejo  

O Centro de Saúde de Évora tem, desde o passado dia 9 de Fevereiro, um novo edifício. O antigo, remodelado, vai ser sede de mais uma unidade de saúde familiar, a USF Salus/Chafariz d´El Rei. É a terceira de Évora e a quarta do Alentejo.

No novo edifício do CS, junto às Portas de Avis, são prestados cuidados de saúde de adultos, Saúde Materna, Planeamento Familiar, Saúde Infantil, Vacinação e ainda a Consulta de Medicina do Viajante. A unidade de saúde funciona no piso zero e as de Cuidados na Comunidade e Saúde Pública, bem como a direcção do futuro agrupamento de centros de saúde (espaço por ora ocupado pela direcção do CS), ficam localizadas no piso superior.

 

Nova USF fica em Chafariz d´El Rei

O antigo edifício da Unidade de Saúde do Chafariz d'El Rei, que também foi objecto de uma remodelação profunda, vai albergar a nova USF. Na realidade, a equipa já está a funcionar como tal. De acordo com a directora do CS, Carmo Velez, faltam apenas "os últimos acertos de candidatura" para arrancar oficialmente.

cs_evora_2.jpgA construção, apesar de bem dimensionada para o exercício da Medicina Familiar, datava de 1957 e não possuía elevador. E "foi justamente a questão da acessibilidade dos utentes que procurámos melhorar, com a instalação de um elevador e de uma rampa, exteriores ao edifício", um projecto "muito bem conseguido", na opinião de Carmo Velez.

No interior, totalmente remodelado, trabalha a equipa da futura USF: oito médicos, oito enfermeiros e seis secretários clínicos. À semelhança de todas as unidades de saúde do CS, a unidade também presta cuidados aos fins-de-semana e feriados, entre as 8 e as 14 horas.

 

Todas as unidades têm horário alargado ao fim-de-semana

Maria do Carmo Velez explica ao nosso jornal que aquele tem sido "o padrão para todas as unidades do CS de Évora" que, no futuro, será composto por três USF - Eborae, Planície e Salus - e uma unidade de cuidados de saúde personalizados (UCSP), localizada em Portas de Avis".

Na perspectiva desta responsável, "criar desequilíbrios num concelho com esta dimensão poderia dar origem a perdas de equidade em termos da acessibilidade dos utentes". Procurou-se, pois, que todas as unidades mantivessem o mesmo horário, "o que foi bem aceite pelos profissionais, empenhados em que exista uma certa homogeneidade no que se refere à prestação de cuidados de saúde".

O Centro de Saúde de Évora tem 63 mil inscritos. Com a entrada em funcionamento das USF Eborae e Planície, no final de 2006, e o consequente alargamento das listas dos respectivos médicos de família, o centro de saúde ficou sem utentes a descoberto. Ou seja, o CS tem conseguido dar resposta a todos os pedidos de inscrição, apesar do aumento exponencial da procura: mais quatro mil utentes em 2007 e 2008. "Évora tem um pólo universitário que traz para a cidade estudantes de muitas regiões do país", explica a médica. Daí que a população inscrita no centro de saúde ultrapasse largamente os dados do censo populacional.

 

Alterações na unidade de saúde da Cruz da Picada

No que diz respeito à Unidade de Saúde da Cruz da Picada, ela vai continuar a prestar serviços aos utentes residentes naquela zona mas apenas nas seguintes áreas: tratamento de feridas e administração de injectáveis; consultas de enfermagem de hipertensão e diabetes; recepção de pedidos de receituário ou outros e recepção de pedidos de marcação de consultas nos médicos de família.

A directora explica que se trata de uma extensão de saúde pequena, com cerca de três mil pessoas. Era apoiada por dois médicos a tempo inteiro e um terceiro a meio tempo mas "não reunia as condições e equipamentos que agora podemos oferecer em Portas de Avis".

A articulação com a Câmara Municipal traduziu-se numa resposta eficaz em termos de transportes, com o intuito de facilitar a acessibilidade dos utentes à nova unidade de saúde. Todavia, "não quisemos retirar os cuidados de proximidade aos utentes residentes, tanto mais que a unidade de saúde está muito inserida no Bairro da Cruz da Picada". As pessoas com mais dificuldades de acesso à nova unidade de saúde "podem continuar a fazer ali os seus tratamentos, injectáveis, renovação do receituário crónico ou até marcar as consultas para o respectivo médico de família, em Portas de Avis".

Saúde Pública

news events box

Mais lidas