Jornal Médico Grande Público

USF Aguda: quando a corrente é favorável
DATA
08/11/2009 02:29:35
AUTOR
Jornal Médico
USF Aguda: quando a corrente é favorável

De RRE a USF, a evolução parecia óbvia... Fácil. Mas na prática, as coisas revelaram-se mais complexas para os profissionais da Unidade de Saúde Familiar Aguda, situada na freguesia de Arcozelo  

De regime remuneratório experimental a unidade de saúde familiar, a evolução parecia óbvia... Fácil. Mas na prática, as coisas revelaram-se mais complexas para os profissionais da Unidade de Saúde Familiar Aguda, situada na freguesia de Arcozelo. É que não obstante a experiência consolidada na autonomia organizacional, foi necessário ultrapassar algumas lacunas. Como a falta de instalações à medida das necessidades de um modelo inovador de prestação de cuidados. Finalmente com as obras de requalificação das instalações em velocidade de cruzeiro e ultrapassados os obstáculos administrativos que emperravam a evolução para o modelo B, a USF parece ter reunido todos os ingredientes necessários ao sucesso do projecto

Na Extensão da Aguda do Centro de Saúde de Arcozelo/Boa Nova, funcionou, até há pouco tempo, um dos primeiros regimes remuneratórios experimentais (RRE) do país que, com o advento da reforma dos cuidados de saúde primários, se transformou em unidade de saúde familiar.

De acordo com a coordenadora desta USF, Goreti Ferreira, a transição para o novo modelo organizativo não apresentou grandes problemas. Porém, as obras necessárias à melhoria das condições na unidade estão a ser afectadas, segundo a responsável, por um "planeamento deficiente e demasiada morosidade". Diga-se, a propósito, que estas se iniciaram apenas em Novembro de 2008, quando o seu início estava previsto para Julho do mesmo ano. A duração da empreitada também ultrapassou todos os prazos pré-estabelecidos. 

 

População não notou grandes diferenças entre USF e RRE

Para os utentes da Aguda, a passagem de RRE para USF pouco significou na prática, já que os procedimentos associados ao agendamento e prestação de cuidados se mantiveram quase inalterados. Pode afirmar-se, aliás, que esta mudança ficou marcada pelo anonimato, independentemente da influência que venha a ter na formatação e qualidade futura dos serviços.

O dia de inauguração da USF Aguda foi encarado com a máxima naturalidade, recorda Goreti Ferreira: "foi um dia normal de trabalho, talvez com um pouco mais de motivação. A população nem sequer percebeu que algo de novo se estava a passar".

Contudo, esta percepção surgiu mais tarde, com as mudanças paulatinamente impressas. Hoje, é possível identificar um atendimento mais personalizado (com destaque para mais consultas realizadas pelo próprio médico de família), e a garantia de que o utente pode marcar consulta para o próprio dia, em caso de necessidade.

 

Rastreios nas praias são exemplo de envolvimento comunitário

Na USF Aguda foi tomada a decisão de criar equipas nucleares, que reúnem um médico e um enfermeiro, que partilham a mesma lista de utentes. Os enfermeiros possuem assim a sua própria lista de famílias e seguem as normas de organização de trabalho defendidas para o enfermeiro de família. Graças a esta filosofia, conseguem ter um conhecimento mais aprofundado sobre um conjunto de indivíduos que acompanham regularmente, intervindo com eficácia na doença e na promoção da saúde. O resultado final é uma vigilância mais apertada destas famílias, menos sujeita a lapsos ou erros de avaliação.

A USF Aguda desempenha, também, um papel relevante fora de portas, na comunidade. Assim, destacam-se projectos de Saúde Oral desenvolvidos em escolas, palestras realizadas em liceus a propósito de temas como a Obesidade, ou as já famosas Caminhadas pelo Coração.

Na primeira linha das iniciativas realizadas em contexto comunitário está ainda o Fim-de-semana da Saúde, que abarca rastreios a diversas patologias e factores de risco (doenças oftalmológicas, osteoporose, obesidade, IMC, glicemia, colesterol total, VIH, etc.). A equipa participa também em rastreios estivais, levados a cabo durante o mês de Julho e a primeira semana de Agosto, nas praias de Aguda, Salgueiros e Senhor da Pedra (concelho de Vila Nova de Gaia). Aqui são avaliados o colesterol total, a HTA e a obesidade. Quer nos rastreios do Fim-de-semana da Saúde, quer nos organizados junto do litoral, a USF conta com o precioso apoio da empresa camarária Águas de Gaia EEM.

Até ao presente, as instituições locais e regionais não têm a abordado a USF directamente, para solicitar qualquer serviço de saúde específico. Mas com a criação do agrupamento de centros de saúde e do respectivo conselho da comunidade, tal poderá acontecer a breve trecho. E como não poderia deixar de ser... a USF está receptiva para acolher todas as solicitações que visem melhorar e ajustar a oferta de saúde à população. 

 

Apelo a uma contratualização inclusiva

Embora considere que a reforma dos cuidados de saúde primários está a ser implementada, essencialmente, tendo em vista o interesse dos cidadãos, a coordenadora da USF Aguda julga que o Ministério da Saúde não está a dotar esta reforma dos meios financeiros necessários. À Missão para os Cuidados de Saúde Primários (MCSP) Goreti Ferreira aconselha que intervenha no sentido de propor uma "contratualização menos direccional". Apesar de não dispor ainda de uma carteira adicional de serviços, a USF Aguda proporciona cuidados basilares a inúmeros grupos vulneráveis e de risco, em áreas como a Diabetes, HTA, Planeamento Familiar, Saúde Materna ou Saúde Infantil. Também trabalha em parceria com a representação local do Instituto da Droga e da Toxicodependência, na administração de medicação de substituição.

Na perspectiva de Goreti Ferreira, seria interessante que a USF que lidera tivesse capacidade para ajudar os utentes em domínios hoje deficitários, devido à demissão de responsabilidades por parte do Estado: "a nossa população necessita muito dos cuidados de Medicina Dentária. Hoje em dia, são muito comuns os problemas dentários e a população carece de recursos económicos para recorrer à consulta privada. E a nível hospitalar, como se sabe, a resposta é demorada e incompleta".

 

Saúde Pública

news events box

Mais lidas

6