Jornal Médico Grande Público

USF Canelas: liberdade para crescer
DATA
08/11/2009 02:47:54
AUTOR
Jornal Médico
USF Canelas: liberdade para crescer

Na Extensão de Canelas do Centro de Saúde de Arcozelo/Boa Nova, funcionou, a partir de 16 de Outubro de 2000, um Regime Remuneratório Experimental. Ano após ano... Com óptimos resultados, não só no que toca aos indicadores clínicos, mas também no que se refere à acessibilidade  

Na Extensão de Canelas do Centro de Saúde de Arcozelo/Boa Nova, funcionou, a partir de 16 de Outubro de 2000, um Regime Remuneratório Experimental. Ano após ano... Com óptimos resultados, não só no que toca aos indicadores clínicos, mas também no que se refere à acessibilidade. 10 anos volvidos e para consolidar a obra feita, o grupo de médicos, enfermeiros e administrativos que integram a equipa decidiu que chegara o momento certo para entrar numa nova era: a das unidades de saúde familiar (USF) de última geração. Nascia, assim, a USF Canelas

Da equipa inicial, foram substituídos dois médicos e acrescentados mais quatro profissionais (um médico, dois enfermeiros e um secretário clínico).

De acordo com o coordenador da USF Canelas, Alexandre Sousa Pinto, no arranque do projecto assinalaram-se limitações associadas à mobilidade de um dos médicos da equipa: "como consequência, fomos forçados a ter maior rácio de utentes por médico de família, durante um período de tempo". Já no que respeita à elaboração e preparação da candidatura, o coordenador salienta que as lições do passado ajudaram, em muito, o grupo a ultrapassar obstáculos: "tivemos alguma dificuldade nos textos de apoio, mas a experiência vivida no RRE ajudou a equipa na formulação dos documentos".

Sousa Pinto admite que, por comparação com o que se passava no RRE, o primeiro dia actividade na USF demonstrou que todas as classes profissionais tinham boas perspectivas pela frente: "houve mais motivação por parte do secretariado clínico e dos profissionais de enfermagem, uma vez que no novo enquadramento passam a ser contemplados em termos remuneratórios pela qualidade do seu trabalho".

 

Avança-se, sem grande alvoroço

Ao longo dos últimos meses, os utentes da USF Canelas tiveram a oportunidade de captar diferenças, para melhor, em áreas chave. Particularmente através da criação de um sistema alargado de intersubstituição, que faz com os utentes não batam com o nariz na porta ao chegarem à USF, mesmo quando, por qualquer razão, o seu médico de família se encontra ausente do serviço. A população tem, diga-se, dado nota de que aprecia as alterações efectuadas no serviço, com ênfase para duas evoluções: maior acessibilidade a cuidados e um maior grau de disponibilidade por parte dos profissionais da casa.

Todas estas mudanças se processaram na maior das calmas já que, segundo Alexandre Sousa Pinto, no dia em que a USF-RRE passou a USF "não houve actividade festiva, nem a visita de qualquer entidade da Saúde".

É, pois, com enorme tranquilidade que a USF Canelas faz o seu percurso, o qual envolve também uma vertente formativa. Nela destaca-se a presença na unidade de um orientador de formação e de um interno da área de especialização de Medicina Geral e Familiar, para além de inúmeros alunos de Enfermagem.

A equipa está convencida de que a formação que oferece tem claras vantagens relativamente à que pode ser ministrada em serviços onde está ausente a tónica da auto-organização dos profissionais.

 

Canelas presta especial atenção a iniciativas com jovens

A USF Canelas converteu-se por inteiro à filosofia do Enfermeiro de Família. Todos os elementos da unidade dividem o trabalho por área geodemográfica e distanciam-se da velha divisão de trabalho por tarefa, ou área de intervenção técnico-científica.

A USF aproxima-se também da comunidade por intermédio de vários projectos centrados, muito particularmente, nos clientes mais pequenos. Aqui assumem especial importância os projectos Combate à Diabetes em Canelas (CaDiC), Abordagem Clínica da Alimentação, Sedentarismo e Obesidade (ACASO) e a colaboração com o agrupamento de escolas de Canelas.

Em acréscimo, a USF tem contado com apoio integral da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, da Junta de Freguesia de Canelas e de outras entidades locais. A articulação com outras instituições é sempre levada a cabo em consonância com o protocolo de actuação estabelecido pelo Agrupamento de Centros de Saúde do Grande Porto IX, no qual se enquadra esta USF.

 

Carteira adicional espera aprovação superior

Actualmente, não existe uma carteira adicional de serviços na USF Canelas, aguardando os profissionais a aprovação da tutela para avançarem com diversas propostas neste âmbito. Entre elas, uma consulta de cessação tabágica, outra de hipocoagulação e o potencial alargamento de horário.

No futuro, os serviços deverão ser moldados de acordo, não só com as apetências adquiridas pela equipa, mas também com os desejos expressos pela população. E para entender as reais necessidades dos seus utentes, a USF Canelas constituiu uma assembleia consultiva: "trata-se de uma assembleia formada por representantes de utentes, da autarquia, das associações locais, religiões e forças vivas da comunidade. Reunimos duas vezes por ano e, durante essas reuniões, apresentamos o nosso relatório de actividades e estamos receptivos a sugestões. Da nossa parte há disponibilidade para concretizar alguns dos pedidos, como por exemplo o alargamento do horário até às 22h e aos fins-de-semana, dependendo da autorização superior", explica Alexandre Sousa Pinto.

Ao nível do relacionamento com as unidades hospitalares e da referenciação para outras especialidades, a USF gostaria que os grupos vulneráveis e de risco fossem mais rapidamente atendidos, fruto de uma melhor articulação com os cuidados secundários.

Saúde Pública

news events box

Mais lidas

6