Jornal Médico Grande Público

Ordem dos Médicos contra a medida de bloqueio da saída de especialistas para o privado
DATA
27/09/2017 10:56:44
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Ordem dos Médicos contra a medida de bloqueio da saída de especialistas para o privado

A Ordem dos Médicos (OM) recusou a intenção do ministro da Saúde de tentar travar a saída para o setor privado dos médicos que formem a sua especialidade no público, classificando-a como “desadequada” e “criadora de instabilidade”.

Adalberto Campos Fernandes disse, em entrevista ao semanário Sol, que a sua equipa está “a equacionar, em sede da discussão preparatória do Orçamento do Estado, que a partir de 2018 não seja possível a um jovem especialista em quem o Estado investiu, através do dinheiro dos contribuintes, sair imediatamente para o setor privado mal termine a especialidade, dando benefício desse investimento ao privado”.

Em comunicado, a OE recusou a proposta de Adalberto Campos Fernandes e referiu que a mesma é “totalmente injusta para os internos de formação específica revelando um grande desconhecimento da atual situação do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e dos seus pilares de sustentabilidade”.

Segundo a Ordem, os médicos internos correspondem neste momento a “mais de um terço dos recursos humanos médicos do SNS, sendo pois essenciais para o seu funcionamento”.

“Se o senhor ministro tem interesse em garantir que os recém-especialistas se mantenham no SNS deve sim facilitar e encurtar o tempo para a colocação dos mesmos. Não deve adiar de forma sistemática este processo, que leva a que vários recém-especialistas optem pelo trabalho em instituições privadas, dada a falta de perspetiva sobre o seu próximo local de colocação no SNS”, lê-se no comunicado.

Para a OE, esta posição de Adalberto Campos Fernandes escamoteia a realidade, “dando a entender que existe apenas o benefício de quem é formado, sem qualquer compensação do SNS”.

“Sendo o SNS o esmagador formador de médicos especialistas não é pois legítima uma medida desta natureza sem uma ampla discussão sobre o tema”, adianta.

Registe-se

news events box

Mais lidas