Jornal Médico Grande Público

Técnica minimamente invasiva permite tratamento de tumores em Guimarães
DATA
23/02/2018 18:27:00
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Técnica minimamente invasiva permite tratamento de tumores em Guimarães

O serviço de imagiologia do Hospital da Senhora da Oliveira Guimarães começou a realizar termoablações percutâneas de lesões, sob controlo imagiológico.

“Trata-se de uma técnica minimamente invasiva, extensamente utilizada no tratamento de tumores benignos ou malignos, primários ou metastáticos. Com esta técnica, os efeitos secundários nos doentes são raros, sendo que, na maioria dos casos, o paciente fica em vigilância por 12 a 24 horas, tendo alta clínica no dia seguinte à realização do tratamento”, é explicado na página oficial do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

O procedimento, clarifica o artigo, “é realizado na sala de tomografia computorizada, sob sedoanalgesia (com apoio de médico anestesista), e dura aproximadamente uma hora. Com esta técnica, é feita uma pequena incisão na pele (cerca de 2 milímetros), não deixando cicatrizes e dispensando tratamentos de penso”.

A médica radiologista de intervenção daquele hospital, Teresa Dionísio, refere que “este procedimento, realizado por um médico radiologista de intervenção, consiste em usar uma corrente alternada de alta frequência produzida por um gerador, aquecendo uma agulha a mais de 60 °C e, assim, causar destruição intencional de proteínas e dano nos tecidos. Para isso, é introduzida uma agulha através da pele até à lesão, sob controlo por ecografia ou tomografia computorizada”.

Quanto às vantagens para os doentes, Teresa Dionísio defende que “são várias”, como “a rapidez do procedimento e os raros efeitos secundários”. Mas, afirma, “acima de tudo, é mais uma ferramenta, mais uma possibilidade terapêutica, que passa a existir quando, por exemplo, não é possível operar alguns tumores”.

news events box

Mais lidas