Jornal Médico Grande Público

IPO Lisboa inaugura nova camara-gama com tomografia computorizada integrada
DATA
14/03/2018 16:01:08
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

IPO Lisboa inaugura nova camara-gama com tomografia computorizada integrada

O Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil (IPO Lisboa) vai inaugurar no próximo dia 20 de março a nova câmara-gama com tomografia computorizada integrada.

O equipamento foi recentemente instalado no Serviço de Medicina Nuclear e é um dos muitos investimentos em curso, cofinanciados pelo Portugal 2020.

Tendo custado mais de 800 mil euros, “faz parte da nova geração de câmaras-gama, equipamentos híbridos que possibilitam a junção numa mesma imagem das características funcionais dos estudos de Medicina Nuclear com a morfologia dos estudos de TC, o que contribui para melhorar a acuidade do diagnóstico”, explicou o organismo em comunicado.

Segundo a diretora do Serviço de Medicina Nuclear do IPO Lisboa, Lucília Salgado, “a aquisição desta câmara-gama (a terceira) permite melhorar a capacidade de resposta do Serviço de Medicina Nuclear, quer do ponto da rapidez quer do ponto de vista da qualidade dos estudos realizados. O equipamento instalado, uma Symbia Intevo da marca Siemens, é o primeiro deste segmento a ser vendido em Portugal”.

“A Medicina Nuclear do IPO Lisboa é um serviço altamente diferenciado e fundamental para as áreas do diagnóstico e terapêutica com radiofármacos”: “realiza todos os anos cerca de 9.000 exames e terapêuticas – entre os quais se incluem cintigrafias ósseas, linfocintigrafias, tomografias de positrões e terapêuticas com 131I e 131I-MIBG – todos fundamentais para o diagnóstico e estadiamento ou para o tratamento de vários tipos de cancro”, pode ler-se na nota emitida.

O Serviço de Medicina Nuclear dá resposta às necessidades dos doentes do IPO e também presta serviços a entidades externas, nomeadamente ao Centro Hospitalar de Lisboa Norte, Centro Hospitalar de Lisboa Central, Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano e Hospital Central do Funchal.

O IPO Lisboa revelou que tem também em curso um investimento de mais nove milhões de euros nas áreas radioterapia (aquisição do sétimo acelerador linear), radiologia (instalação recente de mais um equipamento de TC), modernização tecnológica de vários laboratórios, do bloco operatório, da Unidade de Transplante de Medula e das unidades de endoscopia (gastrenterologia, pneumologia e otorrinolaringologia), que é cofinanciado em cinquenta por cento pelo Programa Operacional Regional de Lisboa - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

No apoio à modernização e capacitação da administração pública, os projetos ascendem a quase seis milhões de euros e passam pela requalificação da infraestrutura tecnológica e implementação de aplicações de sistemas de informação e comunicação, fundamentais para a prestação de cuidados e para apoio à decisão, explicou.

Até 2020, com o apoio do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência (POSEUR), o IPO vai ainda investir cerca de sete milhões de euros num programa de eficiência energética que contempla a produção centralizada de água quente e água gelada, substituição de elevadores, isolamento térmico da cobertura do Pavilhão de Rádio e instalação de parque fotovoltaico.

Para a vogal do Conselho de Administração, Sandra Gaspar, “o trabalho de equipa desenvolvido no IPO Lisboa é a chave do sucesso para o êxito dos mais de 22 milhões de euros aprovados em candidaturas no âmbito dos programas operacionais e regionais do Portugal 2020”.

Registe-se

news events box

Mais lidas