Jornal Médico Grande Público

VIH/SIDA: Ministro congratula-se com bons resultados do país
DATA
05/07/2018 15:17:05
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


VIH/SIDA: Ministro congratula-se com bons resultados do país

O ministro da Saúde congratulou-se, hoje, com o facto de Portugal integrar o grupo restrito de países que atingiu, pela primeira vez, duas das três metas do Programa Conjunto das Nações Unidas para o VIH/SIDA – ONUSIDA.

O programa – conhecido como 90/90/90 – pretende que, até 2020, 90% das pessoas com VIH/SIDA estejam diagnosticadas, que 90% dos diagnosticados estejam em tratamento e que 90% dos que estão em tratamento atinjam uma carga viral indetetável ao ponto de ser impossível transmitir a infeção.

Portugal conseguiu alcançar dois dos objetivos: a identificação das pessoas infetadas e as pessoas que têm carga viral indetetável.

De acordo com o último relatório da situação de Portugal, 91,7% dos infetados com VIH estão diagnosticadas, 86,8% das pessoas diagnosticadas estão em tratamento e 90,3% das que estão em tratamento têm carga viral indetetável.

“Hoje celebramos dois dos três 90 e ficamos ao lado da Dinamarca, da Suécia e do Reino Unido. Estamos certos que a curto prazo o coordenador das Nações Unidas estará cá a celebrar o alcance da terceira meta e fazer prova de que Portugal está no bom caminho em matéria de saúde”, disse Adalberto Campos Fernandes, durante a cerimónia de apresentação do relatório “Infeção VIH e Sida – Desafios e Estratégias.

Para o ministro da Saúde, hoje “é um dia importante para Portugal, para os portugueses e para o sistema de saúde português, assim como um sinal do que tem sido feito no domínio da saúde”.

Campos Fernandes disse, ainda, que Portugal é, atualmente, um país liderante, tendo os portugueses “todos os motivos para confiar num sistema de saúde que responde, com políticas de saúde adequadas e cujos resultados estão à vista e são reconhecidos”.

"Um trabalho destes é de rede capilar, de malha fina, de malha estreita em que toda as pessoas contam e em que a ação de rua e trabalho, do contacto nas escolas, no trabalho e nas comunidades é fundamental", acrescentou.

news events box

Mais lidas