Jornal Médico Grande Público

IPO de Coimbra: Bloco operatório parado devido à greve
DATA
10/08/2018 16:37:48
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


IPO de Coimbra: Bloco operatório parado devido à greve

O bloco operatório do Instituto Português de Oncologia (IPO) de Coimbra não funcionou durante a parte da amanhã devido à greve dos enfermeiros, que rondou os 90%.

“As consultas externas e o bloco operatório estiveram parados, estando os enfermeiros apenas a assegurar os exames de urgência dos meios de diagnóstico complementares”, disse o enfermeiro Ricardo Dias, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), em declarações à agência Lusa.

Segundo Ricardo Dias, foram canceladas entre 12 a 14 intervenções cirúrgicas e ficaram cerca de 50 consultas por realizar. Agora no turno da tarde, iniciado às 16:00 horas, o enfermeiro estima que a adesão volte a rondar os 90%.

“Esta greve tem dois motivos fundamentais: o primeiro tem a ver com contratação de pessoal, que embora esteja a acontecer está a decorrer de forma pouco célere, e o segundo tem a ver com a progressão na carreira e contagem efetiva dos anos de serviço”, explicou Ricardo Dias.

Em conferência de imprensa, o enfermeiro do IPO de Coimbra afirmou que para o hospital prestar "cuidados com qualidade e segurança, coisa que hoje em dia se exige, seriam necessários 14 novos enfermeiros".

"A instituição não está a cumprir a lei ao não contabilizar minimamente tempo de serviço efetivo que os enfermeiros possuem para a sua colocação na carreira e no escalão remuneratório devido", acrescentou.

Note-se que, segundo Ricardo Dias, de um total de 260 enfermeiros, “cerca de 148 não têm a contagem correta do tempo de serviço”.

Segundo Ricardo Dias, os enfermeiros do IPO de Coimbra já estão em negociações com a administração, com o objetivo de encontrar uma solução para os problemas identificados e evitar novas formas de luta.

Saúde Pública

news events box

Mais lidas