Jornal Médico Grande Público

OM defende substituição da administração do Hospital de Gaia
DATA
05/09/2018 18:09:02
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



OM defende substituição da administração do Hospital de Gaia

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM), Miguel Guimarães, defendeu a substituição do o conselho de administração do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E), na sequência das demissões apresentadas hoje por 52 clínicos.

“Acho que a liderança do Hospital de Gaia não está em condições de liderar o centro hospitalar porque, até agora, não foi competente para tentar reverter situações que se adivinhavam há alguns meses”, disse o bastonário durante uma conferência de imprensa, no Porto, a propósito do anúncio de demissão do diretor clínico e dos 51 diretores e chefes de equipa da unidade de saúde.

Miguel Guimarães considerou que atual administração “não está a conseguir gerir corretamente o hospital”, alegando que “os médicos precisam de ter um sinal de que as coisas podem mudar, mas isto vai ser difícil com o atual diretor do hospital”.

“Estamos a falar de 52 demissões de pessoas com cargos de direção, isto corresponde a cerca de 95% dos cargos de chefia no hospital, situação que não é habitual e que o poder político deve ter em conta”, frisou.

Para o dirigente da OM, a carta de demissão, apresentada em julho pelos profissionais do CHVNG/E, foi um “grito de alerta” perante a situação “muito crítica” vivida em Gaia.

“Isto não é novidade. Como bastonário já fui visitar o centro hospitalar três vezes porque os problemas são muitos e porque as promessas de quem tem responsabilidade política nesta matéria acabam por não se concretizarem e os profissionais veem as suas condições de trabalho cada vez mais depauperadas, tendo mais dificuldades em assegurar os cuidados de saúde aos doentes”, salientou.

Saúde Pública

news events box

Mais lidas