Jornal Médico Grande Público

OM volta a integrar Conselho Nacional de Saúde
DATA
22/10/2018 11:24:30
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


OM volta a integrar Conselho Nacional de Saúde

A Ordem dos Médicos (OM) decidiu voltar a integrar o Conselho Nacional de Saúde (CNS), após Jorge Simões renunciar o cargo de presidente do organismo.

Segundo Miguel Guimarães, o Conselho Nacional da Ordem dos Médicos vai voltar a integrar o CNS quando se concretizar a saída de Jorge Simões, que renunciou à presidência deste órgão consultivo do Governo, invocando “motivos pessoais”.

Após tomar conhecimento da renúncia, Miguel Guimarães afirmou que iria pedir ao Conselho Nacional da Ordem para avaliar se voltaria ou não a integrar o CNS. Há cerca de um ano, o bastonário já havia pedido a demissão do presidente do CNS, na sequência de declarações sobre a quantidade e necessidade de médicos no Serviço Nacional de Saúde (SNS). No entanto, a demissão nunca chegou a avançar e, na sequência disso, a OM não voltou a participar em qualquer reunião do CNS.

Na base do pedido de demissão estiveram afirmações de Jorge Simões à rádio Antena 1, nas quais o responsável referia que há uma relação desfasada entre médicos e enfermeiros, dando a entender que pode haver um reordenamento de tarefas para outros profissionais de saúde.

"As afirmações do presidente do CNS são ostensivamente graves. Não respeitam os médicos nem valorizam o trabalho notável que têm feito pelo SNS e pelo país", considerou na altura Miguel Guimarães numa mensagem escrita a um grupo alargado de médicos.

Para o bastonário, Jorge Simões transmitiu aos portugueses a ideia de que a Medicina pode ser exercida por qualquer pessoa.

"No limite, ao pretender que a medicina seja realizada por outros profissionais de saúde que não os médicos, o presidente do CNS está a promover a existência de doentes de primeira e segunda categoria, consoante a sorte e possibilidade de cada um", referia Miguel Guimarães nessa mensagem.

O CNS “é um órgão consultivo do Governo, independente”, composto por 30 membros e que visa “garantir a participação das várias forças científicas, sociais, culturais e económicas, na procura de consensos alargados relativamente à política de saúde”.

Note-se que o presidente e o vice-presidente deste organismo são escolhidos pelo Conselho de Ministros, sob proposta do membro do Governo responsável pela área da Saúde.

Recorde-se, ainda, que Jorge Simões foi indicado para a presidência do CNS em setembro de 2016, tendo antes dirigido a Entidade Reguladora de Saúde.

Saúde Pública

news events box

Mais lidas