Jornal Médico Grande Público

UMinho: Acusações colocam em causa formação de optometristas
DATA
26/11/2018 16:07:56
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




UMinho: Acusações colocam em causa formação de optometristas

A Universidade do Minho (UMinho) esclarece as acusações que colocam em causa a formação superior em Optometria e Ciências da Visão, na sequência das declarações feitas pela Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO) e pelo Colégio da Especialidade de Oftalmologia da Ordem dos Médicos (OM).

Numa nota explicativa, a UMinho afirma que, na área da Optometria e Ciências da Visão (OCV), “oferece formação ao nível de licenciatura desde 1988, de mestrado desde 2009, e de doutoramento desde 2013. Periodicamente, estes cursos são avaliados de forma rigorosa e minuciosa pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES).

A licenciatura em OCV está catalogado pela Direção Geral do Ensino Superior (DGES) na área da Saúde. Já a A3ES cataloga o curso na área 725 - Tecnologias de Diagnóstico e Terapêutica, da Classificação Nacional das Áreas de Educação e Formação (CNAEF).

“É, portanto, falso que o Curso de OCV não se enquadre no âmbito da Saúde. Aliás, é isso que acontece em todo o mundo, incluindo, entre muitos outros países, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos da América”, sublinha a UMinho.

De acordo com a UMinho, o curso de licenciatura conta com a colaboração da Escola de Medicina da Universidade do Minho desde a sua criação, seguindo ainda as boas práticas dos países anglo-saxónicos no que toca aos conteúdos e à prática clínica.

“O corpo docente da área de OCV é integralmente formado por doutorados, contando ainda com a valiosa colaboração de profissionais que exercem a sua prática clínica em outros contextos, trazendo assim uma importante mais-valia para os nossos graduados”, lê-se na nota.

Durante os 30 anos de formação em Optometria, “foram formados mais de 500 licenciados num curso de 4,5 anos, que incluiu estágio curricular, e mais 220 outros que, tendo concluído a licenciatura de 3 anos determinada pela concretização do Processo de Bolonha, cumpriram a seguir 1 ano ou 2 anos de mestrado e/ou realizaram doutoramento”.

Como consequência, “70% dos licenciados têm 4 ou mais anos de formação, sendo que a sua imensa maioria concluiu estágio curricular ou estágio em contexto de pré-registo na associação profissional. Portanto, é manifestamente falsa a afirmação de que, “no melhor dos casos, os optometristas têm um curso de 3 anos”, acrescenta a UMinho.

A UMinho critica, ainda, as afirmações proferidas pela SPO e OM, considerando que as mesmas não correspondem à verdade. “Esta falta de conhecimento é ainda mais grave pois toda a informação está disponível na internet para todo aquele que a deseje consultar”, indica a nota.

“Urge regulamentar a profissão a bem do nome e competências dos profissionais formados nas universidades, e, acima de tudo e principalmente, a bem dos utentes e da opinião pública”, afirma a UMinho.

Saúde Pública

news events box

Mais lidas