Jornal Médico Grande Público

Porto debate inovação e desafios futuros na área da esclerose múltipla

Arranca já na próxima quinta-feira, no Porto, o 5th International Porto Congress of Multiple Sclerosis, um evento bianual que tem vindo a ganhar cada vez maior reconhecimento internacional na área de esclerose múltipla (EM), devido à qualidade dos palestrantes, bem como à pertinência e atualidade dos temas abordados.

O programa dos trabalhos – que decorrem entre 14 e 16 de fevereiro, nas instalações da Ordem dos Médicos – cruza aspetos das ciências exatas e clínicas, abordando temas como a “Matemática e Física na Esclerose Múltipla”; “Neuroimagem”; “O tempo importa na Esclerose Múltipla: caso da cognição”, entre muitos outros.

O objetivo é focar uma doença conhecida por todos, mas que ainda carece de atenção para as inúmeras e recentes inovações terapêuticas desenvolvidas no sentido de atender às necessidades ainda não satisfeitas dos doentes que, segundo dados da Organização Mundial de Saúde, serão cerca de 2,5 milhões em todo o mundo, Em Portugal, e de acordo com projeções, estima-se que existam cerca de oito mil pessoas com a doença.

A presidente do 5th International Porto Congress of Multiple Sclerosis e neurologista do Centro Hospitalar de São João (CHSJ), Maria José Sá, afirma que “este é um momento de debate, análise e reflexão sobre os novos desafios que esta doença nos coloca. Durante três dias, estamos reunidos no Porto para debater as mais recentes novidades, sobre esta doença do foro neurológico, e divulgar para o resto do mundo” e acrescenta ainda que “mais do que estes desafios, o conhecimento dos custos económicos e sociais e gestão da EM, em Portugal, ainda é escasso, sendo necessário melhorar o planeamento da assistência médica e a alocação de recursos”.

Ao nosso jornal, a professora da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) referiu que “este não é um congresso de neurociências, mas da prática clínica” e com uma forte componente formativa. E explicou: “Queremos desmistificar a figura da sumidade científica, facilitando o acesso aos grandes especialistas de EM, o que não acontece em congressos como o ECTRIMS, por exemplo. Os palestrantes internacionais do nosso congresso são especialistas de renome, que têm os mesmos casos difíceis que nós e sentem as mesmas dificuldades que sentimos na nossa prática clínica. Portugal está ao nível do que se faz no resto da Europa e do mundo desenvolvido, ao nível do diagnóstico e tratamento da EM”.

Nos três dias de congresso, pretende-se, de acordo com a médica do CHSJ, “divulgar as principais novidades quanto à causa, diagnóstico e tratamento da EM, bem como debater as doenças com as quais temos que fazer diagnóstico diferencial (nomeadamente, as doenças autoimunes)”.

Dentro da terapêutica, avançou a especialista ao Jornal Médico, “não vamos cingir-nos aos imunomoduladores, mas ao tratamento dos doentes no seu todo – desde a introdução da medicação até aos timings em que a medicação é/deve ser aplicada”.

Para além de acompanhar o rápido desenvolvimento da ciência, tecnologia e estilos de vida, o Congresso de 2019 conta ainda com cursos pré-congresso sobre a intervenção dos enfermeiros, a avaliação cognitiva com bateria de testes validada no nosso País, e os aspetos de comunicação e liderança que enaltecem a importância da equipa interdisciplinar ao serviço dos doentes. Numa doença, em que o custo médio de um surto é estimado em 2.931 euros, e os custos totais aumentam com a gravidade da doença, mas o tipo de recursos muda.

Durante o Congresso será ainda realizada a votação e conhecidos os vencedores do prémio “MS Porto”, que pretende reconhecer a investigação e as melhores práticas clínicas nesta área.

As últimas edições do congresso foram palco de diversos temas como a etiopatogenia, fatores genéticos e ambientais, neuroimunologia, biomarcadores, diagnóstico diferencial, cognição, EM pediátrica, tratamento, reabilitação, custos da EM, doenças do espetro de neuromielite ótica, doenças autoimunes, ferramentas digitais, ou assuntos do dia-a-dia dos doentes.

Mais informações sobre o evento em www.multiplesclerosis2019.com.

Saúde Pública

news events box

Mais lidas