Jornal Médico Grande Público

Ortopedia Geriátrica: Os principais desafios diagnósticos e terapêuticos
DATA
07/09/2018 09:00:52
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Ortopedia Geriátrica: Os principais desafios diagnósticos e terapêuticos

O 6º Congresso de Ortopedia Geriátrica do Hospital de Sant’Ana, sob coordenação do ortopedista Carlos Evangelista, decorre entre 20 e 21 de setembro, no Centro de Congressos do Estoril. Trata-se de um evento único graças à abordagem inovadora e multidisciplinar sobre o tema. Em entrevista ao Jornal Médico, o especialista destacou as principais novidades do setor e analisou os atuais desafios da Ortopedia Geriátrica.

JORNAL MÉDICO (JM) | Quais são os principais desafios do tratamento e prevenção de problemas ortopédicos durante o envelhecimento?

CARLOS EVANGELISTA (CE) | Na Ortopedia Geriátrica (OG), existem dois grandes capítulos, a traumatologia e a Ortopedia propriamente dita. Quando falamos em traumatologia referimo-nos em primeiro lugar à rápida recuperação do paciente aquando de uma fratura, propondo os melhores materiais de osteossíntese, realizando as técnicas mais avançadas que permitam uma rápida recuperação com consolidação das fraturas, facilitando, assim, ao indivíduo carga total e rápida reintegração no seu meio ambiente.

Sendo um conceito multidisciplinar, devemos oferecer uma melhor fisioterapia, um melhor apoio psicológico, melhores cuidados de enfermagem, bem como o fornecimento de suplementação alimentar que forneça energia na recuperação.

Do ponto de vista ortopédico falamos na reconstrução articular permitindo, independentemente da idade, melhorar a qualidade de vida, independência e autonomia. A idade não pode ser uma contraindicação para ser feliz.

Ao nível da prevenção, é importante pensarmos na necessidade de manutenção de um bom tónus muscular, melhoria do equilíbrio e prazer de vida. Estes serão três vetores fundamentais para a prevenção de queda e para recuperação articular.

 

JM | Como é possível melhorar o processo de envelhecimento, prevenindo problemas musculosqueléticos?

CE | A artrose é tão velha como a humanidade. Hoje em dia é possível atrasar o envelhecimento musculosquelético, com exercícios físicos moderados, relaxamento, exercícios respiratórios, que irão permitir um alívio do stress e consequentemente álgidas articulares.

Ter cuidado com alimentos que aumentem a acidez do nosso organismo e/ ou açúcares que ajudem à manutenção da inflamação.

 

JM | A suplementação com produtos naturais é uma possibilidade na prevenção de problemas como a osteoporose e sarcopenia?

CE | A suplementação é um grande complemento da alimentação. Existem vários complexos vitamínicos importantes energizantes e tonificantes, desde suplementação específica para a prevenção e atraso da artrose com enriquecimento do líquido sinovial, lubrificação intra-articular com constituintes que melhoraram a referida lubrificação, melhorando o atrito da mesma. No caso da sarcopenia - que consiste na diminuição progressiva da força e massa muscular com a idade, com risco de incapacidade física e diminuição da qualidade de vida - é importante a mobilização, a vitamina D e os peptídeos de colagénio que melhoram a constituição corporal e evitam uma perda acelerada.

 

JM | Quais são as principais inovações tecnológicas a ter em conta na área da OG?

CE | Atualmente, as grandes inovações tecnológicas nesta área são os materiais de implante para fraturas com possibilidade de cimentação para utilização em ossos osteoporóticos. Já ao nível da Ortopedia são as próteses feitas por medida para cada indivíduo, o que diminuiu o tempo cirúrgico, o risco e uma melhor e mais rápida recuperação.

news events box

Mais lidas