Novo CS vai custar quatro milhões de euros
DATA
04/04/2008 08:14:03
AUTOR
Jornal Médico
Novo CS vai custar quatro milhões de euros

O Governo açoriano vai investir cerca de quatro milhões de euros num novo centro de saúde (CS) para a ilha Graciosa, cuja construção deverá iniciar-se ainda no segundo semestre de 2008

O Governo açoriano vai investir cerca de quatro milhões de euros num novo centro de saúde (CS) para a ilha Graciosa, cuja construção deverá iniciar-se ainda no segundo semestre de 2008.

Este investimento, numa ilha com cerca de cinco mil habitantes vai permitir que o centro de saúde local, actualmente localizado num edifício da Santa Casa da Misericórdia, passe a dispor de instalações próprias.

"Concluímos que, de acordo com as avaliações efectuadas, só a construção de um novo edifício permitiria a resposta ambicionada pela população, pelos técnicos de saúde e pelo Governo", explicou o presidente do Governo Regional dos Açores.

Carlos César falava na apresentação do projecto da obra, no final do primeiro de dois dias da visita que o Governo açoriano está a efectuar àquela ilha do arquipélago.

O novo CS, dividido por três pisos e orçado em quatro milhões de euros, deverá estar concluído no final de 2009, estimou o Governo.

Na ocasião, Carlos César anunciou ainda que a informatização do Serviço Regional de Saúde (SRS) ficará concluída este ano, provocando uma "evolução significativa" na qualidade dos serviços prestados aos utentes no arquipélago.

Depois de salientar que a região tem bons serviços de saúde e excelentes profissionais, o chefe do Governo afirmou que "é sempre possível melhorar, mudando o que se revela necessário", nomeadamente através da construção de novas infra-estruturas.

Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro
Editorial | Conceição Outeirinho
Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro

O início da segunda década deste século, foram anos de testagem. Prova intensa, e avassaladora aos serviços de saúde e aos seus profissionais, determinada pelo contexto pandémico. As fragilidades do sistema de saúde revelaram-se de modo mais acentuado, mas por outro lado, deu a conhecer o nível de capacidade de resposta, nomeadamente dos seus profissionais.