Enfermeiros e administrativos sem garantias de renovação
DATA
26/11/2008 08:24:05
AUTOR
Jornal Médico
Enfermeiros e administrativos sem garantias de renovação

Centenas de enfermeiros e administrativos de centros de saúde e USF, em todo o país, viram os seus contratos de trabalho a termo certo expirarem. Muitos deles estão a trabalhar sem vínculo legal. Outras centenas enfrentarão o mesmo problema, a partir de Dezembro


Nas últimas semanas, centenas de enfermeiros e administrativos de centros de saúde e unidades de saúde familiar, em todo o país, viram os seus contratos de trabalho a termo certo expirarem. Muitos deles estão a trabalhar sem vínculo legal. Outras centenas enfrentarão o mesmo problema, a partir de Dezembro. Em Lisboa e Vale do Tejo, a Administração Regional de Saúde informou os serviços de que todos os contratos de enfermeiros que terminavam até ao final de Novembro seriam renovados (o mesmo valeria para os administrativos, até 15 de Novembro). Sobre os vínculos que terminam em Dezembro, ou já em 2009, há que aguardar por uma validação do governo (nomeadamente do Ministério das Finanças). Na Região Norte,  a inquietação também se faz sentir entre os profissionais com contratos a prazo. Já no Centro, surgiu a garantia de que todos os contratros que terminam a 31 de Dezembro serão renovados.

COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas

Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência terminou e o estado de calamidade passou, mas o problema de saúde mantem-se ativo. É urgente encontrar uma visão inovadora e adotar uma nova estratégia. As unidades de saúde precisam de encontrar respostas adequadas e seguras.

Mais lidas