Nova filosofia de organização entra em vigor
DATA
08/05/2009 09:14:40
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Nova filosofia de organização entra em vigor

O Agrupamento de Centros de Saúde de Cascais deu-se a conhecer ao público e parece preparado para enfrentar um futuro cheio de desafios...

Reúne, sob a mesma orientação estratégica e funcional, os Centros de Saúde de Cascais e da Parede e representa, em última linha, um exemplo típico de como os cuidados de saúde primários se estão a reorganizar, em cada região. O Agrupamento de Centros de Saúde de Cascais deu-se a conhecer ao público e parece preparado - ao nível físico e humano - para enfrentar um futuro cheio de desafios, talhados à medida das diferentes populações que serve. A equipa dirigente está quase completa, a autarquia tem dado uma mãozinha (na envolvência e acesso aos edifícios) e o Ministério da Saúde deverá por um fim às últimas instalações degradadas, em Carcavelos. Na calha, estão já mais três unidades de saúde familiar

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) de Cascais foi recentemente apresentado numa cerimónia oficial, que contou com a presença do secretário de Estado da Saúde, Manuel Pizarro.

Durante a visita, o governante ficou surpreendido com a qualidade das instalações inauguradas há praticamente dois anos. Mas nem tudo são rosas... E Pizarro ouviu queixas dos profissionais sobre alguns problemas que persistem. Desde logo, as dificuldades no controlo da climatização na unidade de São João do Estoril, onde também há falta de elevadores e uma envolvência que deixa muito a desejar (os arranjos paisagísticos previstos no projecto continuam por realizar e os lugares de estacionamento escasseiam). Outros pormenores - que importa agora corrigir - escaparam ao desenho inicial do edifício. O corredor que dá acesso aos gabinetes médicos da USF Marginal termina numa parede sem janela, quando poderia, naquele local, oferecer luz natural e uma bela vista sobre a linha de água.

 

Mais três USF, a curto prazo

 

A direcção do ACES de Cascais está agora sediada na unidade de São João do Estoril. A estrutura abrange perto de 200 mil habitantes e, segundo Helena Costa (directora executiva deste ACES), são excelentes as condições e os equipamentos destinados à prestação de cuidados de saúde no concelho: "é de grande qualidade, não só edifício de São João do Estoril, mas também os de São Domingos de Rana e de Alcabideche, abertos em 2008, fruto de uma parceria entre o Ministério da Saúde e a Câmara Municipal de Cascais. Apenas a freguesia de Carcavelos está necessitada de um novo equipamento que, estou certa, surgirá em breve".

O ACES já dividiu os serviços prestadores de cuidados em dez unidades funcionais. Metade ostenta já o nome de USF (Marginal, Emergir, São Domingos de Gusmão, Artemisa e Alcais).

No final de 2009, a direcção executiva ambiciona ter dois terços das unidades prestadoras de cuidados a funcionar de acordo com o modelo USF. Helena Costa antecipa os próximos desenvolvimentos: "a USF Cidadela aguarda pelas obras do edifício localizado em Cascais, para se poder instalar, enquanto a Kosmus arrancará ainda durante 2009, na Parede. O projecto mais recente envolve a USF Linha do Estoril, em São João do Estoril".

ACES_cascais_02.jpg

A directora executiva realça o facto de os CSP terem mantido, desde sempre, uma óptima relação com a comunidade, fruto do trabalho de fundo em áreas como os cuidados continuados, a intervenção precoce ou os programas contra a violência doméstica, cooperação "que será agora reforçada, graças a novas parcerias".

Na medida em que o desafio é - nas palavras de Helena Costa - gigantesco, "só com o empenho de uma grande equipa será possível alcançar todos os objectivos". Desta equipa fazem parte Joaquim António Basílio, coordenador da Unidade de Apoio à Gestão do ACES de Cascais e a enfermeira Teresa Avillez, coordenadora da Unidade de Cuidados na Comunidade. As unidades assistenciais de Cascais, Carcavelos/Parede, Alcabideche e Estoril ficarão sob coordenação de Gabriela Alves, Terenas Batista, António Cordeiro e Anabela Leitão, respectivamente. A presidir ao Conselho da Comunidade estará Manuel Andrade, vereador da Câmara Municipal de Cascais com o pelouro da Acção Social e da Saúde.

 

Autarquia colabora a 100%

 

O presidente da autarquia de Cascais, António Capucho, sublinha que 75% dos seus munícipes referenciam a Saúde como a principal preocupação no concelho. "Daí que reserve um especial carinho por esta área", declarou o edil.

Em geral, Capucho avalia os novos equipamentos criados ao nível dos CSP como capazes de atenuar o impacto sobre o velho hospital de Cascais. A excepção está em Carcavelos: "os vossos colegas que ali trabalham fazem-no em condições muito precárias, nas instalações da junta de freguesia. O MS tem uma palavra importante neste domínio. Aliás, uma solução poderá passar por aproveitar o espaço do Hospital Ortopédico Dr. José de Almeida".

ACES_cascais_01.jpg

António Capucho reside a cerca de 50 metros do edifício de São João do Estoril e é, portanto, um potencial utilizador dos serviços. Confessa que se tem empenhado a fundo na melhoria daquele espaço e anunciou, durante a cerimónia de apresentação do ACES, uma ou duas novidades importantes: "a envolvente será melhorada, com a implementação de um parque urbano e de novos lugares de estacionamento". As acessibilidades rodoviárias ao edifício também serão aperfeiçoadas, graças a uma rotunda com passagem inferior.

A tira de terreno que separa as instalações de São João do Estoril e a estação de comboios, actualmente uma área praticamente ao abandono, será alvo de recuperação e transformada num passeio pedonal.


USF: resultados de satisfação a caminho

 

Segundo Manuel Pizarro, tem sido possível avançar muito na área da Saúde em Cascais devido "a uma colaboração virtuosa, apenas possível quando os parceiros se empenham com boa-fé e seriedade". O secretário de Estado elogiou a "disponibilidade que a Câmara de Cascais tem mostrado para participar em processos que são complexos, difíceis de concretizar ".

O governante considera, inclusive, que se tem assistido a uma verdadeira revolução na prestação de cuidados, no conselho de Cascais, "assente na primazia dos CSP e na remodelação do velho Hospital de Cascais".

A mudança radical da administração pública no sector da saúde, conseguida por via da actual reforma dos CSP, foi mais uma vez enfatizada pelo secretário de Estado.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: