Equipa vai ser alargada para 10 médicos
DATA
08/05/2009 09:28:33
AUTOR
Jornal Médico
Equipa vai ser alargada para 10 médicos

A USF Nova Via navega em velocidade de cruzeiro e pretende  alargar a equipa médica para 10 elementos...

Dois anos após ter sido inaugurada, a USF Nova Via navega em velocidade de cruzeiro. A equipa, constituída por nove médicos, nove enfermeiros e sete administrativos vai perder, em breve, um elemento da equipa médica, por motivos de reforma. No entanto, de acordo com o coordenador, Pedro Moura Relvas, a sua substituição está assegurada. Aliás, dentro em breve, a unidade de saúde familiar pretende mesmo alargar a equipa médica para 10 elementos. Esta decisão surge na sequência da entrada em idade de reforma de mais um médico, desta vez do Centro de Saúde de Boa Nova/Arcozelo. O problema foi colocado em conselho geral da unidade de saúde familiar, tendo sido decidido aumentar a equipa de modo a abranger os utentes dessa lista do centro de saúde que, de contrário, ficariam sem médico de família atribuído. Com o alargamento da equipa, a USF estará pronta para dar resposta a um total de 18 mil utentes. O número de utentes a descoberto na freguesia diminui, assim, para cerca de três mil.

 

Centro de formação por excelência

 

Outro importante projecto da USF visa transformá-la num centro de formação pré e pós-graduada para alunos de Medicina, internos de MGF, enfermeiros (nomeadamente, na especialidade de Saúde Materna) e estagiários de Pediatria, através de um protocolo realizado com o Hospital de Gaia.

"Com a implementação do ACES, ficámos com mais alguns consultórios que poderão ser utilizados pelos alunos", explica o coordenador. "O alargamento da equipa permitir-nos-á receber até dez internos de Medicina Geral e Familiar". O internato "não pode ser uma formação isolada mas inserida num grupo", daí a aposta da USF, que conta com o total apoio do director do ACES, José Carlos Leitão.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: