Telemedicina já efectuou 70 mil teleconsultas
DATA
08/05/2009 10:49:19
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Telemedicina já efectuou 70 mil teleconsultas

Cerca de 70 mil teleconsultas foram efectuadas na região do Alentejo até ao final do ano passado...

Cerca de 70 mil teleconsultas foram efectuadas na região do Alentejo até ao final do ano passado, ao abrigo de um Programa de Telemedicina da Administração Regional de Saúde (ARS)

O programa foi iniciado em 1999, através de teleconsultas por videoconferência nos distritos de Évora e Beja e, dado o "êxito" da iniciativa, a ARS decidiu ampliá-lo ao distrito de Portalegre e melhorar a tecnologia empregue utilizando um software que permite englobar um ficheiro clínico electrónico e um arquivo de imagens para as teleconsultas.

Estas plataformas tecnológicas e a expansão ao distrito de Portalegre tiveram início em 2008, estando, segundo a ARS do Alentejo, em desenvolvimento e aperfeiçoamento.

Actualmente, fazem-se teleconsultas on-line e em diferido (teleradiologia) entre 16 centros de saúde do Alentejo e entre os quatro hospitais regionais (Évora, Beja e Portalegre e Elvas) e quatro hospitais centrais de Lisboa. As especialidades envolvidas são a Cardiologia, Dermatologia, Neurologia, Fisiatria, Pediatria, Cirurgia Geral, Medicina Interna, Diabetes, Traumatologia e Ortopedia, Cirurgia Pediátrica, Gastrenterologia e Oncologia.

Alentejo_telemedicina_02.jpg

Em Évora, foi recentemente apresentado o Projecto Renovado do Programa de Telemedicina do Alentejo, bem como o programa de teleformação para 2009. A iniciativa destina-se a médicos, enfermeiros, técnicos de diagnóstico e terapêutica, auxiliares de acção médica e funcionários administrativos. Na mesma sessão será ainda apresentada a implantação da Rede Alentejana de Telepatologia e o Programa de Gestão de Qualidade.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: