Objectivo: ser a melhor do país!
DATA
08/10/2009 05:21:29
AUTOR
Jornal Médico
Objectivo: ser a melhor do país!

O nosso objectivo é tratar bem os doentes, desde o ponto de vista da simpatia e da qualidade dos cuidados prestados", garante Nuno Sousa, cujo desejo, para o futuro é que a equipa se mantenha estável e satisfeita, assim como os utentes. E... "que tenhamos a melhor USF de Portugal!"

 

Na USF Dafundo, os projectos e o Plano de Acção "têm sido executados com rigor e ânimo", diz o coordenador, Nuno Sousa, sublinhando que a unidade de saúde familiar integra o grupo proposto pela Missão para os Cuidados de Saúde Primários (MCSP) para avançar com a acreditação, no âmbito de um protocolo de colaboração estabelecido entre o Departamento da Qualidade em Saúde da DGS e a Agência da Qualidade da Andaluzia.

A satisfação da equipa corre em paralelo com a satisfação dos utentes. De tal modo que a taxa de reclamações é a mais baixa de sempre (entre três a quatro por ano). "De facto, os procedimentos estão alinhados, organizados e oleados. O nosso objectivo é tratar bem os doentes, desde o ponto de vista da simpatia e da qualidade dos cuidados prestados", aponta o coordenador, cujo desejo, para o futuro é que a equipa se mantenha estável e satisfeita, assim como os utentes. E, em definitiva, "que tenhamos a melhor USF de Portugal!"

Incentivos vão para formação e obras

Os incentivos a que a USF teve direito, referentes a 2007, foram aplicados em formação. De acordo com Nuno Sousa, metade dos cursos previstos já foram realizados. Quanto aos incentivos institucionais de 2008, serão destinados à realização de obras na unidade de saúde familiar, aquisição de material clínico e equipamento informático.

As obras visam dotar a USF com mais gabinetes médicos e de enfermagem. Além da possibilidade de receber mais internos - sete ou oito no total - coloca-se a hipótese de alargar a equipa com a entrada de mais um médico, um enfermeiro e um administrativo.

Performance Monitor disponibilizado às USF que têm o Medicine One

Há cerca de dois anos, nasceu na USF Dafundo o projecto Performance Monitor, uma aplicação informática que permite realizar o cálculo de indicadores institucionais, financeiros e as actividades específicas, para além de resolver inúmeras questões burocráticas, como convocar os utentes que faltam a determinadas consultas e procedimentos. Através da aplicação - que calcula entre 50 a 60 indicadores - os profissionais têm a possibilidade de conhecer o resultado do seu desempenho mensalmente e de o comparar com o desempenho global da USF.

Durante o passado mês de Julho, o Performance Monitor foi disponibilizado a todas as unidades de saúde familiar que trabalham com o programa informático Medicine One. O projecto, iniciado por Nuno Sousa, tem agora quatro informáticos da empresa que comercializa o Medicine One dedicados a tempo inteiro ao seu desenvolvimento.

Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?
Editorial | António Luz Pereira
Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?

Nestes últimos dias tem sido notícia o número de vagas que ficaram por preencher, o número de jovens Médicos de Família que não escolheram vaga e o número de utentes que vão permanecer sem médico de família. Há três grandes razões para isto acontecer e que carecem de correção urgente para conseguir cativar os jovens Médicos de Família.

Mais lidas