Idosos têm consultas de especialidade e MCD custos reduzidos
DATA
05/03/2010 04:29:15
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Idosos têm consultas de especialidade e MCD custos reduzidos

Os beneficiários do Cartão Social do Idoso do concelho de Vila Viçosa podem usufruir de consultas de especialidade e meios complementares de diagnóstico (MCD) a custos reduzidos no Hospital da Cruz Vermelha (HCV)  

Os beneficiários do Cartão Social do Idoso do concelho de Vila Viçosa podem usufruir de consultas de especialidade e meios complementares de diagnóstico (MCD) a custos reduzidos no Hospital da Cruz Vermelha (HCV), anunciou o presidente da autarquia alentejana, Luís Caldeirinha Roma. Este benefício, permite aos idosos do concelho acederem a um conjunto alargado de consultas de especialidade e surge no âmbito de um protocolo assinado entre o município e o Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa, em Lisboa.

Esta medida "vem colmatar algumas das lacunas que limitam o acesso a cuidados de saúde nas zonas do interior do país", explicou o autarca. Caldeirinha Roma salientou que este compromisso que o município assumiu representa "o alargamento dos benefícios que o Cartão Social do Idoso oferece à população sénior do concelho".

De acordo com a Câmara Municipal de Vila Viçosa, no respeitante aos serviços disponibilizados, as consultas de especialidade abrangem as áreas de cardiologia, cirurgia cardiotorácica, vascular e dermatológica, ortopedia, medicina interna, nefrologia e gastroenterologia. Os MCD distribuem-se por áreas também diversificadas, nomeadamente imagiologia, cardiovascular, oftalmologia, urologia e gastroenterologia.

A autarquia de Vila Viçosa assegura o pagamento das consultas, de acordo com a tabela em vigor do Serviço Nacional de Saúde (SNS), sendo que o utente apenas pagará, no momento da inscrição, o valor da taxa moderadora. Relativamente aos MCD, a Câmara garante o pagamento de 50 por cento do valor total dos exames realizados. O protocolo existente prevê ainda que, caso o programa clínico decorra durante o período da manhã e da tarde, os utentes podem almoçar no restaurante do HCV. O custo da refeição será, nestes casos, suportado também pela autarquia.

Os beneficiários do Cartão Social do Idoso devem inscrever-se para a realização dos actos médicos na delegação de Vila Viçosa da Cruz Vermelha Portuguesa. O transporte é também assegurado, por ordem de inscrição, pela autarquia.

"Esta é uma medida que se reveste de uma importância extrema para os seniores do concelho que podem agora usufruir de um leque alargado de consultas e meios complementares de diagnóstico, a baixo custo, no HCV", salientou o autarca. Ainda no sector da saúde, está actualmente em estudo o desenvolvimento de novas parcerias que permitam alargar os benefícios do Cartão Social do Idoso, nomeadamente na comparticipação de óculos e próteses dentárias e auditivas, entre outros.

 

Nova unidade de cuidados continuados de convalescença

A Delegação de Vila Viçosa da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) vai contar com uma unidade de cuidados continuados de convalescença, com capacidade para 30 camas, revelou, há dias, o presidente da delegação, Eduardo Almeida.

O responsável adiantou que a nova unidade envolve um investimento de cerca de 2,8 milhões de euros, incluindo a construção e o equipamento, com uma comparticipação de 750 mil euros por parte da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, através do Programa Modelar. A obra, que arrancou no início deste mês, deverá estar concluída em Setembro deste ano.

De acordo com o responsável, a nova valência vai permitir a criação de cerca de 50 postos de trabalho, envolvendo a contratação de médicos, enfermeiros, funcionários administrativos e auxiliares.

O presidente da delegação da CVP realçou que a unidade, uma das primeiras do Alentejo, constitui "uma mais-valia para o concelho e para o distrito de Évora". A unidade vai integrar a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, que funciona em colaboração estreita entre os Ministérios da Saúde e do Trabalho e Solidariedade Social. A nova valência de saúde é destinada a 30 utentes do Alentejo, mas se tiver vagas poderá receber doentes de outras regiões do país.

 

Mora: Câmara subsidia metade do preço dos medicamentos a idosos

Também em Mora, a autarquia revela preocupação com o elevado peso dos medicamentos na carteira dos idosos mais pobres do concelho de Mora. Vai daí... decidiu comparticipar em 50% as despesas de idosos com pensões inferiores a 325 euros.

Segundo dados do gabinete de apoio social da Câmara Municipal de Mora, em 2009 a autarquia apoiou 1170 idosos na aquisição de remédios, o que representa uma despesa de aproximadamente 114 mil euros.

Só no ano passado deram entrada nos serviços financeiros da autarquia 22.737 facturas relativas a despesas nas farmácias.

Todos os portadores do cartão do idoso beneficiam de uma ajuda de 50% no custo dos medicamentos comparticipados pelo Serviço Nacional de Saúde.

O presidente da autarquia, Luís Simão, aponta que, apesar deste auxílio, muitos idosos, cujas pensões continuam a ser muito baixas, não têm possibilidades financeiras para adquirir a totalidade das receitas. Por isso, defende mais atenção, por parte do Estado, a estas situações.

 

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas