“Não vamos lá com medidas de cosmética!”
DATA
27/09/2011 08:49:11
AUTOR
Jornal Médico
“Não vamos lá com medidas de cosmética!”

Na primeira vez em que se dirigiu aos deputados, o ministro da Saúde, Paulo Macedo deixou bem claro que os tempos não estão para meias-medidas… “A situação actual do País não é compatível com medidas de cosmética”, frisou, no passado dia 7, na Comissão Parlamentar da Saúde. Lembrando “a situação extremamente difícil do SNS”, o governante comprometeu-se a intervir “de uma forma decisiva e objectiva”

 

Texto integral só disponível na edição impressa

 

Na primeira vez em que se dirigiu aos deputados, o ministro da Saúde, Paulo Macedo deixou bem claro que os tempos não estão para meias-medidas… “A situação actual do País não é compatível com medidas de cosmética”, frisou, no passado dia 7, na Comissão Parlamentar da Saúde. Lembrando “a situação extremamente difícil do SNS”, o governante comprometeu-se a intervir “de uma forma decisiva e objectiva”. De entre as medidas apresentadas, salienta-se a intenção de “reduzir os cargos dirigentes do Ministério em 30%”, “fiscalizar mais eficazmente as PPP”, melhorar a transparência no sector e cumprir com as medidas da troika no que diz respeito às taxas moderadoras e à política do medicamento. No plano dos CSP, o novo inquilino da João Crisóstomo está apostado em reduzir o número de utentes sem MF atribuído e em dar continuidade ao modelo USF

 

“A situação actual do País não é compatível com medidas de cosmética. O Serviço Nacional de Saúde (SNS) está numa situação extremamente difícil, pelo que é preciso implementar medidas com vista à sua sustentabilidade, tendo especial atenção aos mais carenciados”.
Estas declarações foram proferidas pelo ministro da Saúde, Paulo Macedo, na sua primeira ida ao Parlamento, onde foi ouvido pela Comissão Parlamentar da Saúde sobre as linhas fundamentais de actuação do Governo para este sector. Na mesma ocasião, o governante sublinhou que “a actual situação exige muito mais do que discursos ou falsas promessas. Este é um momento de medidas que façam a diferença! Precisamos de medidas para o imediato e para o médio/longo prazo”.
Lembrando que o défice orçamental do SNS em 2010 atingiu os 449 milhões de euros e considerando já uma transferência do Orçamento de Estado para o SNS de cerca de 8.100 milhões de euros em 2011, o ministro adiantou que “para garantir a viabilidade financeira a longo prazo, incluindo a capacidade de continuar a ter profissionais e meios técnicos de excelência que hoje temos, é preciso ir para além da simples cosmética, de apenas palavras ou sugestões de exequibilidade duvidosa, ou mesmo impraticáveis. Temos de intervir de forma decidida e objectiva, sem distracções com o acessório, na correcção de desvios, diminuindo tudo o que não é necessário, mas sem prejuízo de nada do que é essencial”.

#sejamestrelas
Editorial | António Luz Pereira
#sejamestrelas

Ciclicamente as capas dos jornais são preenchidas com o número de novos médicos. Por instantes todos prestam atenção aos números. Sim, para muitos são apenas números. Para nós, são colegas que se decidiram pelo compromisso com os utentes nas mais diversas áreas. Por isso, queremos deixar a todos, mas especialmente aqueles que abraçaram este ano a melhor especialidade do Mundo uma mensagem: “Sejam Estrelas”.

Mais lidas