Governo admite não haver dinheiro para pagar às Misericórdias
DATA
09/11/2011 09:40:08
AUTOR
Jornal Médico
Governo admite não haver dinheiro para pagar às Misericórdias

"Não há verba para pagar às Misericórdias e não podemos estar a contratar novos serviços", afirmou o ministro da Saúde, Paulo Macedo, durante uma resposta no Parlamento no âmbito da interpelação ao Governo sobre política de saúde, a pedido do PCP

 Texto integral só disponível na edição impressa

O Governo admite que falta dinheiro para pagar às Misericórdias no âmbito da prestação de serviços nos Cuidados Continuados (CC)."Não há verba para pagar às Misericórdias e não podemos estar a contratar novos serviços", afirmou o ministro da Saúde, Paulo Macedo, durante uma resposta no Parlamento no âmbito da interpelação ao Governo sobre política de saúde, a pedido do PCP.

No final do debate, em declarações aos jornalistas, o ministro reconheceu que há dívidas às Misericórdias em relação às quais ainda não está definido como serão pagas: "Há dívidas em relação às quais terá de ser visto como serão reunidos os meios para as liquidar".

 

Misericórdias correm risco de encerramento

Algumas Misericórdias correm o risco de fechar, se o Governo não conseguir pagar o que deve, e os doentes assistidos nessas instituições podem ter de ser entregues aos hospitais públicos, avisou o presidente da União das Misericórdias Portuguesas (UMP), Manuel Lemos.

Há quatro ou cinco Misericórdias que já não estão a pagar salários e existem ainda registos de problemas de falta de alimentos porque as unidades não conseguem pagar aos fornecedores, adiantou aquele responsável.

Manuel Lemos, quer ter uma previsão de quando haverá pagamento das dívidas do Estado, pelo menos aos casos mais urgentes.

 

#sejamestrelas
Editorial | António Luz Pereira
#sejamestrelas

Ciclicamente as capas dos jornais são preenchidas com o número de novos médicos. Por instantes todos prestam atenção aos números. Sim, para muitos são apenas números. Para nós, são colegas que se decidiram pelo compromisso com os utentes nas mais diversas áreas. Por isso, queremos deixar a todos, mas especialmente aqueles que abraçaram este ano a melhor especialidade do Mundo uma mensagem: “Sejam Estrelas”.

Mais lidas