Estudantes de Medicina em greve a partir de hoje
DATA
19/10/2013 10:39:35
AUTOR
Jornal Médico
Estudantes de Medicina em greve a partir de hoje

Os alunos do núcleo de estudantes do mestrado de Medicina da Universidade do Algarve (NEMed/UAlg) decidiram hoje não comparecer às actividades lectivas a partir de segunda-feira, na sequência da demissão da direcção da escola


De acordo com uma nota do núcleo de estudantes, os alunos "reiteram o seu integral apoio à direcção" do mestrado de Medicina acusando o reitor da instituição, João Guerreiro, na imagem, de "condicionar" a autonomia pedagógica e científica do curso

Versão integral apenas disponível na edição impressa

 

Os alunos do núcleo de estudantes do mestrado de Medicina da Universidade do Algarve (NEMed/UAlg) decidiram hoje não comparecer às actividades lectivas a partir de segunda-feira, na sequência da demissão da direcção da escola.

De acordo com uma nota do núcleo de estudantes, os alunos "reiteram o seu integral apoio à direcção" do mestrado de Medicina da Universidade do Algarve, que se demitiu acusando o reitor da instituição de "condicionar" a autonomia pedagógica e científica do curso.

Já depois de se terem reunido com o Reitor, os alunos anunciaram que se propõem faltar a todas actividades lectivas "até que haja desenvolvimentos favoráveis à resolução da situação", referem na nota.

A greve dos estudantes do mestrado de Medicina da Universidade do Algarve arranca hoje e os alunos iniciam o protesto com uma concentração a partir das 09:00, em frente à Universidade.

Um dos estudantes de medicina adiantou à Lusa que a suspensão de atividades lectivas vai manter-se até que lhes seja assegurado que aqueles professores que se demitiram da direcção do curso "não vão ser substituídos".

 

Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro
Editorial | Conceição Outeirinho
Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro

O início da segunda década deste século, foram anos de testagem. Prova intensa, e avassaladora aos serviços de saúde e aos seus profissionais, determinada pelo contexto pandémico. As fragilidades do sistema de saúde revelaram-se de modo mais acentuado, mas por outro lado, deu a conhecer o nível de capacidade de resposta, nomeadamente dos seus profissionais.