Jornal Médico Grande Público

Investigador da Universidade do Minho venceu com projeto sobre tuberculose
DATA
27/10/2013 23:00:05
AUTOR
Jornal Médico
Investigador da Universidade do Minho venceu com projeto sobre tuberculose

O investigador Helder Novais e Bastos, da Escola de Ciências de Saúde da Universidade do Minho, venceu a edição deste ano com um trabalho sobre tuberculose

Versão integral apenas disponível na edição impressa

O investigador Helder Novais e Bastos, da Escola de Ciências de Saúde da Universidade do Minho, venceu a edição deste ano da Bolsa D. Manuel de Mello, no valor de 12.500 euros, com um trabalho sobre tuberculose.

A investigação incide sobre "o impacto das diferentes linhagens do mycobacterium tuberculosis, na diversidade de apresentação desta doença", explicou a entidade promotora do prémio.

A Bolsa D. Manuel de Mello é atribuída anualmente pela Fundação Amélia de Mello com o objetivo de contribuir para a investigação e progresso das Ciências da Saúde e destina-se a premiar jovens médicos, até aos 35 anos, que desenvolvam projectos de investigação clínica, individualmente ou integrados em equipas, no âmbito das Unidades de Investigação e Desenvolvimento das faculdades de medicina portuguesas.

"Apesar dos progressos alcançados, a luta contra a tuberculose falhou em alguns dos seus objetivos fundamentais, nomeadamente na compreensão dos processos imunopatológicos que afectam a pessoa infectada pelo agente da tuberculose. Actualmente, ainda não é possível prever quais os indivíduos que contactam com o agente patogénico e são capazes de erradicar ou conter a infecção na forma latente ou que, pelo contrário, desenvolvam a doença", explica Helder Novais e Bastos.

Com este trabalho, "vai ser possível conhecer melhor as interações patogénico/hospedeiro, contribuindo para o melhoramento do diagnóstico e definição de estratégias terapêuticas para a tuberculose", refere o investigador.

Helder Novais e Bastos salienta, ainda, que "a tuberculose continua a ser um problema de saúde pública global".

"Estima-se que em 2011 tenham ocorrido cerca de 8,7 milhões de casos em todo o mundo, com uma mortalidade de 1,4 milhões de pessoas. Isso significa que a tuberculose é a segunda causa de morte de origem infeciosa no mundo", frisa.

Em 2012, a Bolsa D. Manuel de Mello foi atribuída a Inês Correia de Sá, investigadora e docente da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto pelo seu trabalho sobre o processo de cicatrização da pele.

Saúde Pública

news events box

Mais lidas