Moção em defesa da manutenção da gestão pública entregue em Belém
DATA
07/11/2013 23:09:50
AUTOR
Jornal Médico
Moção em defesa da manutenção da gestão pública entregue em Belém

Moção visa a defesa da gestão pública do Hospital Francisco Zagalo, opondo-se à eventual transferência da unidade para a tutela da Misericórdia local

A Assembleia Municipal de Ovar remeteu à Presidência da República e ao Ministério da Saúde uma moção em defesa da gestão pública do Hospital Francisco Zagalo, opondo-se à eventual transferência da unidade para a tutela da Misericórdia local.

Fonte da autarquia informou hoje que o documento também foi endereçado aos líderes dos grupos parlamentares, numa medida motivada pela informação de que "o Governo estará a preparar-se para, dentro de poucos dias, entregar seis hospitais do Serviço Nacional de Saúde às Misericórdias" das suas respectivas localidades.

"A incerteza sobre o futuro da gestão do Hospital de Ovar mantém-se", lê-se no documento.

"Rejeita-se a transferência dessa unidade para a Santa Casa da Misericórdia de Ovar ou para qualquer outra entidade, considerando que o hospital possui infra-estruturas, equipamentos, meios e recursos humanos que devem ser rentabilizados, obedecendo ao primado da sustentabilidade e complementaridade da rede pública do Sistema Nacional de Saúde", assinala-se.

A moção assinada pelos deputados municipais de Ovar defende que o protocolo celebrado em 2007 entre o município e o Ministério da Saúde seja "integralmente implementado".

O acordo então assinado previa a manutenção de todas as valências em funcionamento no hospital, assim como a "continuidade da sua referenciação ao Hospital S. Sebastião [em Santa Maria da Feira], a manutenção da Consulta Aberta e a dignificação dos Cuidados de Saúde Primários".

 

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: