Guarda: autarquia defende abertura do novo pavilhão do hospital
DATA
02/01/2014 11:50:26
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Guarda: autarquia defende abertura do novo pavilhão do hospital

[caption id="attachment_5597" align="alignleft" width="300"]alvaroamaro "Abra-se a parte do hospital que está feita", disse Álvaro Amaro, o presidente da autarquia, durante a reunião da Assembleia Municipal da Guarda, onde o assunto foi abordado por deputados do PS, do PSD-CDS/PP e da CDU[/caption]

O presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro, defende a abertura do novo pavilhão do hospital local, que está construído, mas aguarda por autorização da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) para poder funcionar.

"Abra-se a parte do hospital que está feita", disse Álvaro Amaro no passado dia 30, durante a reunião da Assembleia Municipal da Guarda, onde o assunto foi abordado por deputados do PS, do PSD-CDS/PP e da CDU.

No período antes da ordem do dia daquele órgão, presidido por Carvalho Rodrigues (PSD/CDS-PP), o deputado Álvaro Estevão (PSD/CDS-PP) disse que o hospital da Guarda é "um pilar fundamental" para os cuidados de saúde e é um factor de importância para a qualidade de vida e atracção de pessoas.

O deputado apelou a todas as forças políticas que coloquem o hospital nas suas agendas como "assunto prioritário".

Armando Reis, do PS, lembrou que enquanto o seu partido esteve no Governo "a obra sempre andou", tendo parado após o PSD ter assumido funções governativas.

Considerou que a questão do Hospital Sousa Martins "é central", defendendo não só a abertura do novo pavilhão como a recuperação dos restantes que estão "em estado lastimável".

Pela CDU, Honorato Robalo, apresentou uma moção, aprovada por maioria, onde é defendida "a urgente abertura" das novas instalações hospitalares.

O presidente da Câmara informou que já se reuniu com o ministro da Saúde, com a Administração Regional de Saúde do Centro e com a Administração da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda.

Álvaro Amaro explicou que o novo pavilhão não começou a funcionar por ter sido apresentado à ANPC, para licenciamento do plano de segurança, o projecto global do hospital que contemplava outras intervenções.

Referiu que o novo pavilhão não abre porque "para abrir é preciso apresentar todas as alterações [ao projecto] para que a ANPC as possa aprovar".

O autarca defende que seja aberta "a parte do hospital que está feita", assumindo que a actual situação "é uma vergonha".

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, visitou as obras do novo bloco do hospital no dia 28 de Dezembro de 2012 e anunciou a sua conclusão para o mês de Fevereiro de 2013.

Em Fevereiro deste ano, o presidente da ULS disse à agência Lusa que a construção do novo bloco ficaria concluída na primeira semana de Março e deveria funcionar em Setembro.

O pavilhão, de quatro pisos, tem uma área de 48.600 metros quadrados e vai acolher serviços que actualmente estão dispersos por dois antigos blocos, um centenário e outro construído na década de 1990.

No piso térreo vão funcionar consultas externas, serviços de imagiologia, urgência, sector de exames especiais e esterilização, entre outros.

O bloco operatório, o internamento, as unidades de cuidados intensivos e intermédios e o laboratório ocuparão o piso 1. No piso -1 ficam áreas técnicas, farmácia, medicina legal e armazém, enquanto o -2 fica reservado a estacionamento.

 

Por favor faça login ou registe-se para aceder a este conteúdo

Sejam Felizes
Editorial | António Luz Pereira, vice-presidente da APMGF
Sejam Felizes

O início de cada ano é também o início do percurso de milhares de novos médicos. A todos, mas especialmente aqueles que como nós escolheram como futuro ser Médico de Família, queremos receber-vos com um desejo e um desafio. Que sejam felizes e façam com que aqueles que se cruzam convosco sejam felizes. Desejamos profundamente que este internato de formação específica em MGF seja um caminho de felicidade. Que se sintam totalmente realizados por terem escolhido a melhor especialidade do mundo. Que sejam felizes no internato, para que possam ser ainda mais felizes fora dele.

Mais lidas