Petição contra o fecho de serviços no Centro Hospitalar Póvoa/Vila do Conde
DATA
15/01/2014 10:44:52
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Petição contra o fecho de serviços no Centro Hospitalar Póvoa/Vila do Conde

[caption id="attachment_5864" align="alignleft" width="300"]hospitalpóvoadevarzim A petição foi lançada no seguimento do ataque do Governo ao SNS, depois de um estudo que recomendava o fecho dos serviços de cirurgia geral de 26 unidades de saúde, incluindo o Hospital da Póvoa de Varzim/Vila do Conde.[/caption]

Um grupo de cidadãos da Póvoa de Varzim e de Vila do Conde lançou uma petição pública contra a hipótese de encerramento dos serviços de cirurgia geral, obstetrícia e pediatria no Centro Hospitalar que serve os dois municípios.

A petição está a decorrer na internet e conta já com mil assinaturas.

Ana Silva, porta-voz do grupo, afirmou à agência Lusa que o objectivo da iniciativa é "unir os cidadãos em torno de um assunto comum que é o estado do Serviço Nacional de Saúde (SNS) nos dois concelhos".

A fonte sublinhou que "a petição foi lançada no seguimento do ataque do Governo ao SNS, depois de um estudo que recomendava o fecho dos serviços de cirurgia geral de 26 unidades de saúde, incluindo o Hospital da Póvoa de Varzim/Vila do Conde".

Para Ana Silva este assunto é "mais actual do que nunca". E assinalou a "cada vez mais acentuada decadência do Centro Hospitalar".

Na petição, os signatários referem, ainda, que esta ameaça surge numa altura em que se verifica "a abertura do Serviço de Atendimento Permanente da Misericórdia de Vila do Conde e quando se encontra já em fase de conclusão, na área dos dois concelhos, um novo hospital privado".

Este movimento dos cidadãos começou em Julho de 2012, com o intuito de mobilizar a população em torno desta causa, tendo, na altura, decorrido uma vigília em frente ao Hospital da Póvoa. Ana Silva revelou que "estão para breve novas mobilizações".

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas