Câmara contra fecho de serviços de saúde em Valongo quer reunir-se com ARS
DATA
23/01/2014 08:13:13
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Câmara contra fecho de serviços de saúde em Valongo quer reunir-se com ARS

[caption id="attachment_6114" align="alignleft" width="300"]csvalongo José Manuel Ribeiro pediu uma reunião com o presidente da ARS do Norte “para manifestar a sua preocupação face às ameaças do encerramento do Serviço de Urgência e da transferência de serviços de saúde para a Maia”. “Esta matéria preocupa-nos muito, pois representa mais uma dificuldade no acesso dos cidadãos ao Serviço Nacional de Saúde”, afirmou o autarca.[/caption]

O presidente da Câmara de Valongo manifestou-se preocupado com as ameaças de encerramento e transferência de serviços de saúde do concelho, tendo pedido uma reunião com o presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte.

De acordo com comunicado enviado pela autarquia, o presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, tomou esta posição na reunião de hoje do executivo, tendo-se manifestado contra encerramento de serviços de saúde no concelho.

José Manuel Ribeiro pediu uma reunião com o presidente da ARS do Norte “para manifestar a sua preocupação face às ameaças do encerramento do Serviço de Urgência e da transferência de serviços de saúde para a Maia”.

“Esta matéria preocupa-nos muito, pois representa mais uma dificuldade no acesso dos cidadãos ao Serviço Nacional de Saúde”, afirmou o autarca.

De acordo com o presidente da Câmara de Valongo, no âmbito da reorganização do Serviço Nacional de Saúde está prevista a transferência dos serviços de Nutrição, Psicologia e Terapia da Fala para a Maia.

“A iminência do encerramento do Serviço de Urgência Básica do Hospital Público de Valongo foi outras das preocupações manifestadas pelo autarca”, acrescenta o comunicado.

Na mesma reunião da autarquia foi aprovada uma proposta, apresentada pelo vereador CDU, para a realização de uma auditoria à situação económica e financeira do município, incluindo as empresas municipais.

“Há áreas em que precisamos de avançar com uma auditoria. Ninguém convive mal com a decisão de formalizar uma auditoria”, defendeu.

MGF 2020-30: Desafios e oportunidades
Editorial | Gil Correia
MGF 2020-30: Desafios e oportunidades

Em março de 2020 vivemos a ilusão de que algumas semanas de confinamento nos libertariam para um futuro sem Covid-19. No resto do ano acreditámos que em 2021 a realidade voltaria. Mas, por definição, a crise é uma mudança de paradigma. O normal mudou. Importa que a Medicina Geral e Familiar se adapte e aproveite as oportunidades criadas. A Telemedicina, a desburocratização e um ambiente de informação, amigável flexível e unificado são áreas que me parecem fulcrais na projeção da MGF no futuro.

Mais lidas