Jornal Médico Grande Público

Quinze novos casos de gripe em unidades de cuidados intensivos
DATA
07/02/2014 11:26:19
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Quinze novos casos de gripe em unidades de cuidados intensivos

[caption id="attachment_5767" align="alignleft" width="300"]gripe “Os 15 laboratórios da Rede Portuguesa de Laboratórios para o Diagnóstico da Gripe notificaram, até à data, 515 casos positivos para o vírus influenza”, segundo o boletim, o vírus predominante, ainda que haja, acrescenta, “um aumento do número de vírus detectados”[/caption]

Quinze novos casos de gripe foram admitidos em unidades de cuidados intensivos, na primeira semana de Fevereiro, mais quatro casos do que na semana anterior, segundo o Boletim de Vigilância Epidemiológica da Gripe.

De acordo com o boletim, divulgado hoje pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, regista-se uma actividade gripal moderada, com uma taxa de incidência da gripe de 68,8 casos por cada cem mil habitantes, menor do que na última semana de Janeiro (80,7 casos).

O documento diz que os vírus detectados são semelhantes às estirpes que integram a vacina antigripal deste inverno e diz também que não foram detectados vírus influenza resistentes aos antivirais.

“Os 15 laboratórios da Rede Portuguesa de Laboratórios para o Diagnóstico da Gripe notificaram, até à data, 515 casos positivos para o vírus influenza”, segundo o boletim, o vírus predominante, ainda que haja, acrescenta, “um aumento do número de vírus detectados”.

Até agora, no total, foram notificados pela rede de laboratórios 1920 casos de síndrome gripal.

Dos 15 novos casos nas unidades de cuidados intensivos (UCI) a maioria não tinha sido vacinada contra a gripe.

“Desde o início da época (Outubro de 2013) foram reportados 78 casos de gripe nos doentes admitidos nas UCI de vários hospitais. Verificou-se que apenas 2% desses doentes tinham sido vacinados contra a gripe e 74% apresentavam doença crónica subjacente”, diz o boletim hoje divulgado.

 

Relatório Primavera: verdades e consequências
Editorial
Rui Nogueira
Relatório Primavera: verdades e consequências

“Ó Costa aguenta lá o SNS” foi o pedido de António Arnaut em maio do ano passado, poucos dias antes de nos deixar. Mas o estado da saúde em Portugal está mal ou bem ou vai indo? Está melhor ou pior? O SNS dá as respostas úteis às necessidades de saúde da população? O Relatório de Primavera ajuda a fazer interpretações fundamentadas.

news events box

Mais lidas