Deputados aprovam visita ao Hospital das Forças Armadas
DATA
12/02/2014 11:13:08
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Deputados aprovam visita ao Hospital das Forças Armadas

[caption id="attachment_6659" align="alignleft" width="300"]hospitaldasforçasarmadas Na imagem, o Ministro da Defesa na cerimónia de inauguração das urgências do Hospital das Forças Armadas, em Abril do ano passado[/caption]

A comissão parlamentar de Defesa Nacional aprovou hoje por unanimidade uma proposta do PS para visitar o Hospital das Forças Armadas, visando acompanhar "o processo de implantação" daquela unidade.

O deputado socialista Marcos Perestrello defendeu a necessidade de acompanhar o processo de implantação do novo Hospital, que concentrou a prestação de serviços de saúde dos militares dos três ramos.

A visita será agendada após a audição, quarta-feira, do ministro da Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco, que vai ser ouvido sobre as conclusões do Conselho Europeu de 2013, e sobre um exercício militar realizado na Madeira em Novembro passado.

De acordo com o PCP, a missão de treino realizada "releva fundamentalmente da segurança interna que dizem respeito às funções próprias, não das Forças Armadas, mas das forças de segurança".

"Este problema prende-se como se sabe, com uma questão sensível, que é da separação entre as missões de combate à criminalidade que competem às autoridades judiciárias que, como é óbvio, não dirigem operações militares", defende o PCP, no requerimento.

A comissão de Defesa Nacional aprovou também por unanimidade a audição do secretário de Estado do Mar, proposta pelo deputado do PSD e presidente da comissão, Matos Correia.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas