Oito novos casos de gripe em unidades de cuidados intensivos
DATA
14/02/2014 12:03:09
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Oito novos casos de gripe em unidades de cuidados intensivos

cuidadosintensivosOito novos casos de gripe foram admitidos em unidades de cuidados intensivos, entre 03 e 09 de Fevereiro, menos oito do que na semana anterior, segundo o Boletim de Vigilância Epidemiológica da Gripe.

De acordo com o boletim, divulgado na quinta-feira à noite pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, “a taxa de incidência do síndroma gripal foi de 64,2 casos por cada 100 000 habitantes, encontrando-se acima da zona de actividade basal pela sexta semana consecutiva, com tendência decrescente”.

O documento diz que os vírus detectados são semelhantes às estirpes que integram a vacina antigripal deste inverno e diz também que não foram detectados vírus influenza resistentes aos antivirais.

“Os 15 laboratórios da Rede Portuguesa de Laboratórios para o Diagnóstico da Gripe notificaram até à data 620 casos positivos para o vírus influenza”, adianta o boletim, sublinhado que, entre 03 e 09 de Fevereiro, foram reportados oito novos casos de admissão, por gripe, nas unidades de cuidados intensivos de 18 hospitais portugueses.

Segundo o mesmo documento, nenhum dos doentes tinha sido vacinado contra a gripe.

“Desde o início da época (Outubro de 2013), foram reportados 87 casos de gripe nos doentes admitidos nas unidades de cuidados intensivos de vários hospitais. Verificou-se que apenas 1,7% desses doentes tinham sido vacinados contra a gripe e 75% apresentavam doença crónica subjacente”, acrescenta ainda o relatório.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas