Jornal Médico Grande Público

Demência: Governo vai fazer levantamento da população que recebe apoios
DATA
17/02/2014 11:09:43
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Demência: Governo vai fazer levantamento da população que recebe apoios

idosos2O Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social (MSESS) vai fazer um levantamento de todas as pessoas com demência e que já recebem apoio, seja domiciliário ou em lar, de forma a adequar as necessidades e os apoios existentes.

Em comunicado o MSESS adianta que vai “dinamizar um projecto-piloto para doentes com demências” em parceria com a União das Misericórdias Portuguesas (UMP).

O protocolo de formalização da iniciativa é assinado hoje.

“Esta iniciativa (…) pretende identificar a população com demência que já se encontra a receber cuidados em SAD [Serviço de Apoio Domiciliário] ou Lar, estabelecendo padrões de boas práticas com os recursos existentes, adequando o nível de cuidados a estas necessidades específicas”, diz o ministério.

Nesse sentido, o MSESS diz que identificou a unidade Bento XVI, em Fátima, pertencente à União das Misericórdias e especializada em doentes com Alzheimer, por esta dispor de “uma equipa de nível diferenciado”.

Segundo o ministério, o objectivo passa por “desenvolver modelos de intervenção” que possam ser disseminados, de modo a “assegurar no país a existência de unidades especializadas e de capacidade de resposta profissional, nos locais onde as pessoas com demência já vivem”.

Com o protocolo, o ministério diz pretender assegurar a formação, não só dos profissionais da unidade de Fátima, mas também de outras unidades e “dar resposta a pessoas com demências com manifestações secundárias e/ou fase de diagnóstico e correcção terapêutica”.

“Este projecto prevê um protocolo de parceria entre a UMP, a Associação Alzheimer de Portugal e a Direcção Geral da Saúde, sendo ainda financiado pelo POPH do actual QREN”, diz o MSESS, que, no entanto, não adianta valores.

A implementação do projecto irá decorrer durante o ano de 2014, até ao final do actual quadro comunitário, e, segundo o ministério, “vão ser realizadas acções de formação que favoreçam o desenvolvimento de competências, com componentes específicas nas vertentes cognitiva e de terapia relacional, a quem presta cuidados a pessoas com demência”.

A formação será feita de forma integrada e individualizada com as respectivas famílias, “de modo a prevenir ou reduzir os riscos da evolução da demência”.

A Unidade de Cuidados Continuados Bento recebeu os dois primeiros doentes a 06 de Novembro.

A unidade que integra a Rede Nacional de Cuidados Continuados e que foi apoiada pelo Estado em 750 mil euros tem como responsável clínico o professor catedrático de Psiquiatra da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa e director do Hospital do Mar, Caldas Almeida.

Cerca de 40 pessoas trabalham na Unidade de Cuidados Continuados, entre enfermeiros, assistentes sociais, terapeutas da fala e ocupacionais, médicos e animadores.

Das 60 camas disponibilizadas pela unidade, 50 foram protocoladas com o Estado para cuidados de média e longa duração.

Em maio de 2012, antes da assinatura do protocolo de arranque da unidade especializada em doentes com Alzheimer, o presidente da União das Misericórdias Portuguesas já tinha informado que o espaço também iria funcionar como um polo de formação para quem trata e cuida destes doentes.

Dados da UMP mostravam, então, que o número de pessoas com demências em lares é cada vez maior, mas poucas pessoas sabem cuidar destes doentes, apontando-se para a existência em Portugal de 180 mil pessoas com demências, 95 mil das quais com Alzheimer.

Estima-se que estas doenças afectem cerca de 5% das pessoas com 65 anos, 20% das que têm 80 anos e oscilando entre os 25% a 30% entre os idosos com 90 anos ou mais.

 

 

Relatório Primavera: verdades e consequências
Editorial
Rui Nogueira
Relatório Primavera: verdades e consequências

“Ó Costa aguenta lá o SNS” foi o pedido de António Arnaut em maio do ano passado, poucos dias antes de nos deixar. Mas o estado da saúde em Portugal está mal ou bem ou vai indo? Está melhor ou pior? O SNS dá as respostas úteis às necessidades de saúde da população? O Relatório de Primavera ajuda a fazer interpretações fundamentadas.

news events box

Mais lidas