Escassez de reservas de sangue no IPST obriga a apelo urgente à dádiva
DATA
20/02/2014 15:20:28
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Escassez de reservas de sangue no IPST obriga a apelo urgente à dádiva

sangueNo mês de Janeiro de 2014 verificou-se uma quebra na afluência às sessões de colheita do IPST de 13% comparativamente com o mesmo mês do ano anterior, a que corresponderam menos 1598 colheitas. Essa tendência manteve-se no mês de Fevereiro, agravada pela sazonalidade associada ao surto de gripe, informa o Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST).

"Por esse motivo, as reservas de sangue, principalmente do grupo zero negativo e zero positivo mas também de A negativo, estão neste momento em níveis que consideramos que devem dar origem a um pedido à população de dadores e também a novos dadores para que façam as suas dádivas de sangue nos próximos dias e nos locais onde o IPST está a colher (ver locais em dador.pt)", apela a direcção do IPST.

"A reserva total nacional está ainda a níveis seguros, mas a do IPST está baixa nos grupos referidos e por isso este pedido urgente à população", acrescenta.

O IPST pede ainda que os dadores regulares que têm as suas dádivas programadas para as próximas semanas aguardem por esse momento a fim de que possa ser gerida a manutenção futura das reservas.

Neste contexto, apelamos a todos os que estão há mais de um ano sem dar sangue e principalmente aos jovens e dadores de primeira vez que possam agora fazer as suas dádivas para assim podermos garantir a ajuda aos doentes.

Em nome de todos os doentes agradecemos a todos os dadores que mostrem a sua disponibilidade.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas