Jornal Médico Grande Público

Açores: Governo admite nova injecção de verbas no Serviço Regional de Saúde
DATA
21/02/2014 15:01:42
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Açores: Governo admite nova injecção de verbas no Serviço Regional de Saúde

luiscabral2O secretário regional da Saúde dos Açores admitiu hoje a injecção de novas verbas para "ir corrigindo algumas situações" no Serviço Regional de Saúde, embora tenha sido possível chegar em 2013 a "um equilíbrio financeiro".

“Há um historial que tem que ser resolvido. No ano passado, conseguimos fazer uma injecção de cerca de 30 milhões de euros no Serviço Regional de Saúde para o pagamento de dívidas. Esperemos que este ano também o possamos fazer para ir corrigindo algumas situações”, disse Luís Cabral, em declarações aos jornalistas.

O titular pela pasta da Saúde nos Açores falava após uma reunião com o conselho de administração do Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, acrescentando que "ainda se está a tentar perceber de que forma poderá ser feito e quando".

Luís Cabral lembrou que o Serviço Regional de Saúde passa por "alguns constrangimentos do ponto de vista financeiro por via do que foram os financiamentos em anos anteriores e dos ajustes normais" que estão a ser feitos "nesta altura de crise".

Ainda assim, garantiu que "foi possível, em 2013, chegar já a um equilíbrio financeiro em termos de financiamento e gastos, praticamente em todas as unidades" do SRS, mas disse que "as dificuldades mantêm-se".

"Há um historial que tem de ser devidamente enquadrado e que estamos a trabalhar com cada um dos hospitais no sentido de o resolver", sublinhou, frisando que "o importante não é pedir mais dinheiro mas sim pedir o dinheiro com uma justificação muito clara e muito plausível".

Na reunião, a passagem dos horários médicos das 35 para as 40 horas foi um assunto abordado, indicando o secretário regional que "cerca de 44 médicos" da maior unidade de saúde dos Açores "já fizeram o pedido de passagem das 35 para as 40", representando "mais capacidade de resposta do hospital" a nível das urgências, consultas externas e internamento.

O secretário regional da Saúde salientou ainda que as auditorias que estão a ser feitas pela Inspecção Regional de Saúde "vão ao encontro" de uma decisão do executivo açoriano, tomada no início de mandatado "e até por sugestão de alguns outros partidos da oposição", sendo o objectivo "perceber e dar instrumentos a cada administração hospitalar" para perceber "onde estão as falhas e onde podem ser optimizadas os recursos do Serviço Regional de Saúde".

Em 2013, a inspecção foi feita no Hospital de Santo Espírito, na Terceira, este ano será realizada na Horta e em 2015, provavelmente, no hospital de Ponta Delgada.

O secretário regional da Saúde reiterou ainda, em resposta a questões dos jornalistas, que está a ser feita "uma revisão" do sistema de convenções com os privados de modo a torná-lo "mais ágil e mais eficaz".

"A ideia é utilizar a mesma tabela que está em vigor no Serviço Nacional de Saúde para o pagamento dos exames", explicou.

 

 

Relatório Primavera: verdades e consequências
Editorial
Rui Nogueira
Relatório Primavera: verdades e consequências

“Ó Costa aguenta lá o SNS” foi o pedido de António Arnaut em maio do ano passado, poucos dias antes de nos deixar. Mas o estado da saúde em Portugal está mal ou bem ou vai indo? Está melhor ou pior? O SNS dá as respostas úteis às necessidades de saúde da população? O Relatório de Primavera ajuda a fazer interpretações fundamentadas.

news events box

Mais lidas

Has no content to show!