Misericórdia de Lisboa investe 11 milhões em obras no Hospital de Sant’Ana
DATA
25/07/2014 12:36:04
AUTOR
Jornal Médico
Misericórdia de Lisboa investe 11 milhões em obras no Hospital de Sant’Ana

hospital de santana

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa lançou hoje “a primeira pedra” das obras de ampliação e polivalência do Hospital Ortopédico de Sant’Ana, na Parede, Cascais, que representam um investimento de 11 milhões de euros, comunicou a instituição.

As obras no Hospital Ortopédico de Sant’Ana visam a construção de “uma nova unidade hospitalar que vem complementar a resposta já existente”, alargando a oferta médica a outras especialidades, para além da ortopedia.

A funcionar num edifício centenário, a intervenção no hospital pretende dotá-lo de “modernas infra-estruturas e equipamentos com as condições necessárias para que seja polivalente”.

“A Santa Casa está a fazer evoluir a sua oferta em cuidados de saúde, para adequar respostas às necessidades reais da população”, refere a Santa Casa, em comunicado.

A intervenção para ampliar o Hospital de Sant’Ana prevê a construção de uma infra-estrutura com capacidade de “60 camas para internamento, um bloco operatório com quatro salas, uma unidade de cuidados intensivos com seis camas e uma unidade de recobro com 32 postos”.

Segundo o comunicado, a construção desta nova unidade hospitalar terá lugar no edifício ao lado do hospital, anteriormente destinado ao Centro Ortopédico de Desenvolvimento Infantil, e que está desactivada há 24 anos.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa vai investir “11 milhões de euros na construção da unidade”, refere a nota.

Para assinalar o início das obras, o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Pedro Santana Lopes, esteve presente no Hospital Ortopédico de Sant’Ana, celebrando também o 110.º aniversário daquela unidade hospitalar.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas