Câmara de Valpaços comparticipa prolongamento do horário do centro de saúde
DATA
25/08/2014 17:42:47
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Câmara de Valpaços comparticipa prolongamento do horário do centro de saúde

Valpaços 1

O presidente da Câmara de Valpaços anunciou hoje um prolongamento do horário de funcionamento do centro de saúde até às 22:00, uma medida que dá resposta às reivindicações da população e que vai ser comparticipada pelo município.

Amílcar Almeida disse à agência Lusa que o protocolo que visa o prolongamento do funcionamento do centro de saúde de Valpaços, em mais duas horas nos dias de semana (das 20:00 às 22:00), foi assinado na semana passado com o Ministério da Saúde. Esta medida entra em vigor a partir de 01 de Setembro.

O autarca falou numa “vitória para o concelho” depois de uma “luta árdua” que deu frutos já em Julho, mês que o centro de saúde passou a estar aberto das 09:00 às 19:00 aos fins-de-semana e feriados, e agora também com o aumento do período em que está em funcionamento nos dias úteis.

Este acréscimo de mais duas horas vai custar 35 mil euros por ano, uma verba que será paga em 50% pela Câmara Municipal e os restantes 50% pelo Ministério da Saúde.

Esta é, no entanto, uma medida que será avaliada daqui a seis meses. E, segundo o autarca, se se verificar existir uma procura entre as 20 e as 22:00 igual ou superior a três pessoas, o ministério vai rever o protocolo e pagar por inteiro os custos.

Se a procura não for a suficiente, estes serviços de saúde voltam a fechar as portas a partir das 20:00.

Amílcar Almeida justificou a necessidade de prolongar o funcionamento do centro de saúde com os números de pessoas do concelho que se têm deslocado aos hospitais mais próximos, em Mirandela e Chaves.

Designadamente uma média de 35 pessoas que, por dia, recorrem às urgências daquelas unidades hospitalares, maioritariamente entre as 20:00 e as 24:00.

O autarca referiu que a situação dos cuidados de saúde primários no concelho “foi agravada” com o encerramento do Hospital da Santa Casa da Misericórdia de Valpaços em 2011.

“Valpaços ficou sem qualquer serviço de proximidade aos fins-de-semana e feriados”, salientou.

No entanto, as reivindicações não ficam por aqui e Amílcar Almeida quer ainda introduzir consultas externas e meios complementares de diagnóstico nas instalações deste hospital, onde actualmente funciona apenas um serviço de fisioterapia.“Não faz sentido que, para fazer um raio x um utente, tenha que se deslocar a Mirandela ou a Chaves, ou para uma simples consulta de urologia também tenha que ir a Chaves ou a Mirandela”, frisou.

O autarca espera que estas reivindicações possam ser concretizadas até ao final do ano, tendo aproveitado para pedir o apoio do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, aquando de uma visita ao concelho no domingo.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas