Stephen Hawking junta-se à campanha mundial do balde de água gelada
DATA
29/08/2014 10:12:20
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Stephen Hawking junta-se à campanha mundial do balde de água gelada

StephenHawking

O físico Stephen Hawking juntou-se à campanha mundial do balde de água gelada destinada à recolha de fundos para apoiar as vítimas de Esclerose Lateral Amiotrófica, doença neurodegenerativa de que padece há quase 50 anos.

"Por causa da pneumonia que sofri no ano passado, não seria sábio da minha parte lançar um balde de água gelada sobre mim, mas os meus filhos Robert, Lucy e Tim propuseram-se como voluntários aceitar o desafio por mim", explica o cientista de 72 anos num vídeo de mais de um minuto difundido através do Youtube e que já foi visualizado por mais de 47 mil pessoas.

Stephen Hawking é uma das pessoas mais conhecidas do mundo que sofre de Esclerose Lateral Amiotrófica, enfermidade que em seus estágios posteriores pode levar à perda progressiva de neurónios motores, limitando as actividades da vida diária e acabar mesmo por incapacitar o paciente.

Segundo o portal da Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla, estima-se que a patologia afecte cerca de 2,5 milhões de pessoas em todo o mundo e mais de 5.000 em Portugal.

Algumas figuras mundiais, como o antigo líder comunista chinês Mao Tsé-Tung, um dos mais importantes contrabaixistas e compositores norte-americanos de jazz do século XX, Charles Mingus, ou um dos mais famosos músicos de intervenção português, Zeca Afonso, morreram vítimas desta doença neurodegenerativa, que ainda não tem cura ou tratamento.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas