Norte: 5,1 milhões de euros em fundos comunitários para novas unidades de saúde
DATA
17/08/2016 11:07:58
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Norte: 5,1 milhões de euros em fundos comunitários para novas unidades de saúde

dinheiro 3

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte vai receber cerca de 5,1 milhões de euros de fundos comunitários para construir novas unidades de saúde em Gaia, Valongo, Gondomar e Barcelos e remodelar a unidade de saúde da Batalha, na cidade do Porto.

De acordo com dados disponíveis no site do programa operacional Norte 2020, o projeto de remodelação da Unidade de Saúde da Batalha, no Porto, irá receber 1,4 milhões de euros. Também aprovados foram os projetos para a construção de quatro novas unidades de saúde na região, seguindo 1,3 milhões de euros para o de Gaia (Vilar do Andorinho), um milhão para Valongo (Campo), 742 mil euros para Gondomar (Baguim do Monte) e 682 mil euros para Barcelos (Martim).

Em maio a ARS do Norte anunciou o investimento de seis milhões de euros em quatro novos edifícios para instalar, até 2018, unidades de saúde nos concelhos de Gondomar, Gaia, Trofa e Porto. Para a instalação da Unidade de Saúde de Vilar de Andorinho, unidade funcional integrada no Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Grande Porto VII, em Vila Nova de Gaia, a ARS divulgou que seriam investidos 1,4 milhões de euros, um valor a repartir pelos anos de 2016 (162 mil euros), 2017 (1,068 milhões de euros) e 2018 (243 mil euros).

Já o investimento para a Unidade de Saúde da Batalha (Porto) foi estimado em 1,6 milhões de euros, um valor a ser repartido pelos anos de 2016 (162 mil euros), 2017 (1,1 milhões de euros) e 2018 (243 mil euros).

Quanto ao Centro de Saúde de Campo, em Valongo, este representa uma das mais antigas reivindicações do município que quer ver substituído o atual edifício prefabricado “sem condições dignas”.

Em fevereiro, o programa operacional Norte 2020 disponibilizou 25 milhões de euros de FEDER para melhorar unidades de cuidados de saúde primários e requalificar serviços de urgência hospitalar na região. As necessidades de intervenção foram identificadas no mapeamento (uma listagem indicativa de prioridades) proposto pela ARS-N que contemplava 19 milhões para a Área Metropolitana do Porto, dos quais 9,2 milhões deveriam ser atribuídos ao concelho de Gaia para a remodelação das urgências do hospital e construção de duas unidades de saúde (Madalena e Vilar do Andorinho).

Para o Centro Hospitalar de Vila Nova De Gaia/Espinho foram já aprovados seis milhões de euros de fundos comunitários.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas