Urgência do Hospital de São João da Madeira reabre em janeiro
DATA
29/12/2016 15:45:44
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Urgência do Hospital de São João da Madeira reabre em janeiro

A urgência de São João da Madeira vai reabrir a 1 de janeiro, de acordo com as informações dadas pelo Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (CHEDV) ao presidente daquela autarquia, revelou fonte municipal.

“A informação que foi dada pelo Centro Hospitalar é que a urgência do Hospital de São João da Madeira vai reabrir no dia 1, dando cumprimento ao despacho do secretário de Estado adjunto e da Saúde”, avançou à Lusa a mesma fonte.
A reabertura da urgência, anunciada em agosto, foi considerada pelo presidente da Câmara, Ricardo Figueiredo, “um marco histórico para São João da Madeira, em prol da melhoria da prestação de cuidados de saúde às populações de Entre Douro e Vouga.
“Na defesa da população e do interesse público na prestação de cuidados de saúde na região, sempre enfatizei junto do Governo e deste secretário de Estado a absoluta necessidade de reforço da rede de urgências da região e manifestei que, desde que no Serviço Nacional de Saúde, estaria sempre do lado da solução que permitisse a reabertura da Urgência e reforço das valências do Hospital de S. João da Madeira”, disse o autarca na ocasião.
Ricardo Figueiredo elogiou o secretário de Estado adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, “pela boa decisão que tomou, pela força política que demonstrou, e por honrar as promessas e garantias dadas nas reuniões” que manteve com ele.
A reabertura da urgência hospitalar verifica-se um ano depois de o governo ter decidido reverter a entrega do Hospital de São João da Madeira à gestão da Misericórdia, e foi justificada com a necessidade de “adaptar a tipologia da prestação de serviços de urgência nos hospitais cuja gestão foi acordada com as Santas Casas da Misericórdia e depois anulada”.
O despacho do secretário de Estado, publicado a 19 de agosto em Diário da República, que determinou a reabertura da urgência em São João da Madeira e Santo Tirso, pretendeu “corrigir” a classificação dos serviços de urgência, “designadamente no que respeita à harmonia da arquitetura da rede, ao aproveitamento da capacidade instalada dos estabelecimentos do Serviço nacional de Saúde (SNS) e à equidade no acesso pelos utentes do SNS aos cuidados de saúde urgentes/emergentes”.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas