Maioria dos hospitais consegue obter classificação de excelência clínica
DATA
03/01/2017 11:48:36
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Maioria dos hospitais consegue obter classificação de excelência clínica

A maioria das 160 unidades de saúde avaliadas pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS) no segundo semestre de 2016 obteve classificação de excelência clínica, cumprindo todos os critérios de qualidade exigidos.

O Sistema Nacional de Avaliação em Saúde da Entidade Reguladora (SINAS), cuja segunda avaliação de 2016 foi hoje conhecida, é um sistema que permite aferir a qualidade global dos estabelecimentos prestadores de cuidados de saúde, neste caso das unidades com internamento.

Na dimensão de excelência clínica, dos 160 estabelecimentos abrangidos 127 tiveram classificação. Destes, 111 (87%) conseguiram a atribuição da estrela correspondente ao primeiro nível de avaliação.

Nesta dimensão de excelência clínica foram avaliadas as unidades com internamento nas áreas de Angiologia e Cirurgia Vascular, Cardiologia (Enfarte Agudo do Miocárdio), Cirurgia de Ambulatório, Cirurgia Cardíaca, Cirurgia do Cólon, Cuidados Intensivos, Cuidados Transversais, Ginecologia, Neurologia (AVC), Obstetrícia (partos e cuidados pré-natais), Ortopedia e Pediatria.

No segundo nível de avaliação, a que só acedem as unidades de saúde a quem é atribuída uma estrela na dimensão de excelência clínica, aumentou o número de prestadores que obtiveram uma classificação de nível de qualidade III, o mais elevado, nas áreas de cirurgia de ambulatório e de ortopedia.

No que concerne à dimensão da qualidade Segurança do Doente – Procedimentos de Segurança, a ERS destaca que dos 160 prestadores, 105 conseguiram a atribuição da estrela correspondente ao primeiro nível de avaliação: 71 prestadores obtiveram nível de qualidade III, 28 tiveram qualidade II e seis obtiveram nível de qualidade I.

Relativamente à dimensão Adequação e Conforto das Instalações, 122 das 160 unidades conseguiram a atribuição da estrela correspondente ao primeiro nível de avaliação.

Na dimensão da Satisfação do Utente, que apenas averigua se há uma cultura de avaliar a satisfação dos utilizadores, foram 83% os prestadores que afirmaram realizarem inquéritos de satisfação.

Ao todo foram avaliados 160 prestadores de cuidados de saúde de natureza hospitalar, 87 deles pertencem ao setor público, 47 ao privado e 26 ao setor social.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas