Eleições 2017/2019: conheça os três candidatos
DATA
04/01/2017 17:56:04
AUTOR
Jornal Médico
Eleições 2017/2019: conheça os três candidatos

Leia mais sobre a corrida às eleições para escolher o bastonário da Ordem dos Médicos para o triénio de 2017/2019.

Carlos Moreira

Prescrição eletrónica e e-mail da Ordem

A candidatura à presidência da Secção Regional do Sul (SRS) da Ordem dos Médicos (OM), liderada pelo internista e professor Carlos Moreira, tem como mote “Ordem Forte – Ao Serviço dos Médicos e dos Cidadãos” e pretende “colocar a Ordem no século XXI”.

Caso vença as eleições, Carlos Moreira promete que a SRS “irá disponibilizar a todos os médicos da sua região novos instrumentos digitais: uma aplicação de prescrição eletrónica e um e-mail individual da OM. Serão disponibilizados gratuitamente a todos os médicos uma aplicação de prescrição eletrónica disponibilizada via web, à semelhança do que a Ordem faz atualmente com o seguro de responsabilidade médica.

Carlos Moreira pretende ainda disponibilizar gratuitamente a todos os médicos da sua região um endereço de e-mail individual que o identifique clara e inequivocamente como médico na sua relação com os colegas e com a comunidade. Este serviço de e-mail permitirá enviar e receber correio eletrónico seguro, automaticamente encriptado e assinado eletronicamente, sem recurso a entidades terceiras.

Jaime Teixeira Mendes

Voto eletrónico já!

Jaime Teixeira Mendes, presidente e candidato à presidência da Secção Regional do Sul (SRS) da Ordem dos Médicos (OM), apela à adoção do voto eletrónico nas eleições da OM, em prol da redução de custos e da aproximação do eleitorado, cada vez mais fragmentado pela emigração médica.

Em Julho de 2016, este responsável apresentou uma proposta de adoção do voto eletrónico para as eleições de 19 de janeiro de 2017, que não foi aprovada. No entender de Jaime Teixeira Mendes, “os valores gastos em processos eleitorais na OM são injustificáveis quando há alternativas menos dispendiosas e mais próximas do eleitorado, que poderiam levar a taxas de participações muito superiores às atuais”.

Em 2013, numa eleição com apenas um candidato a bastonário, a OM gastou aproximadamente 116 mil euros no processo eleitoral. Dois anos depois, nas eleições para os Colégios de Especialidade esse valor ascendeu a perto de 60 mil euros.

Jaime Teixeira Mendes lamenta que o próximo ato eleitoral seja uma oportunidade perdida, primando pela ausência de respostas eficientes para o voto dos médicos que emigraram. Salienta que várias outras Ordens profissionais com elevados números de emigração – como os Engenheiros e Enfermeiros – já optaram pelo voto eletrónico, fazendo inclusive coincidir os atos eleitorais para bastonário e Colégios, promovendo assim a contenção de custos sem qualquer redução de direitos.

Miguel Guimarães

Direções clínicas devem ser eleitas por médicos

O candidato a bastonário da Ordem dos Médicos (OM), Miguel Guimarães, defende que as direções clínicas das unidades de saúde (hospitalares e ACES) devem ser eleitas diretamente pelos médicos, “colegas de trabalho” e não por nomeação administrativa.

O atual presidente da Secção Regional do Norte (SRN) da OM, considera que “esta é uma medida necessária para que as direções clínicas sejam mais autónomas e independentes face aos conselhos de administração, dando prioridade às decisões de caráter técnico em detrimento dos critérios administrativos ou burocráticos”.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas