Escolas Superiores de Tecnologia da Saúde entregam livro a ministro
DATA
17/01/2017 11:00:31
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Escolas Superiores de Tecnologia da Saúde entregam livro a ministro

Os responsáveis das três escolas superiores de Tecnologia da Saúde do País entregaram ao ministro da Saúde um documento “clarificador” sobre as competências académicas dos cursos ministrados nestas escolas.

O presidente da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra, Jorge Conde, a presidente da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, Anabela Graça, e o ex-presidente da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, João Lobato, reuniram na passada sexta feira com o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, a quem entregaram o resultado de um trabalho realizado pelas três escolas superiores da área.

No trabalho entregue sob a forma de livro consta a compilação dos “Referenciais de Competências Académicas” dos cursos de 1º e 2º ciclo (licenciaturas e mestrados) da área das tecnologias da saúde. O documento foi realizado por um conjunto de professores das três escolas e incide sobre as áreas de Audiologia, Ciências Biomédicas Laboratoriais, Dietética e Nutrição, Farmácia, Fisiologia Clinica, Fisioterapia, Ortoprotesia, Ortóptica, Imagem Médica e Radioterapia, Saúde Ambiental, Terapia da Fala e Terapia Ocupacional.

Trata-se de um “contributo indicador de orientação para as respetivas academias, assim como para os diferentes organismos de tutela e entidades representativas das profissões associadas a estas formações”. Segundo os responsáveis das três escolas, o documento entregue ao ministro da tutela “tem como objetivo sistematizar e clarificar as competências a obter com cada uma das formações ministradas nas escolas e que constitui a primeira intervenção pós-Bolonha nestas áreas científicas”.

O documento, concluído no passado mês de dezembro e realizado ao longo do ano de 2016, constituiu uma mais-valia para as negociações que o Ministério da Saúde eos sindicatos iniciaram no final do ano, na sequência da greve recente que o setor viveu e que durou mais de 15 dias. A metodologia ensaiada para a apresentação deste desenho geral do referencial de competências, seguiu o European Qualifications Framework – EQF, definidos pela Portaria nº 782/2009 de 23 de julho, suportado respetivamente, por um conjunto distinto de referências a entidades nacionais, internacionais e profissionais.

O presente Referencial de Competências apresenta-se como “um testemunho dinâmico, aberto e de necessária reapreciação e revisão periódica. Este processo deverá ser permanentemente melhorado, de forma participativa e ativa, pelos vários atores que intervém no processo do ensino e das respetivas entidades reguladoras, assim como enriquecido pelas organizações profissionais correspondentes”.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas