Casa de Saúde Santo António em Albergaria pode voltar a receber utentes
DATA
19/01/2017 12:07:35
AUTOR
Jornal Médico
Casa de Saúde Santo António em Albergaria pode voltar a receber utentes

A Casa de Saúde Santo António, em Albergaria-a-Velha, reabriu ontem as portas depois de ter estado cerca de meio ano com a atividade suspensa, informou fonte da Administração Regional de Saúde do Centro (ARS-C).

A instituição volta a estar na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, o que significa que pode receber utentes novamente, mantendo as 50 camas de que dispunha.

A mesma fonte referiu ainda que vai ser reforçada a monitorização das condições exigidas para o funcionamento desta unidade de saúde privada.

A Casa de Saúde de Santo António encontrava-se com a atividade suspensa desde 1 de julho de 2016, tendo os utentes sido transferidos para outras unidades.

Na altura, a ARS-C justificou a decisão "face à avaliação do risco pela autoridade de saúde, que detetou um conjunto de inconformidades graves nas mais diversas áreas".

A retoma da atividade era uma das condições para a recuperação da empresa que, recentemente, viu homologado em tribunal o seu Processo Especial de Revitalização (PER).

Na proposta de plano de recuperação que foi apresentada aos credores, a administração refere que a suspensão temporária da atividade impediu a empresa de, pontualmente, solver todos os seus compromissos.

"Perante a situação vivida é-lhe difícil continuar com a sua atividade por falta de liquidez - défice de tesouraria. Nem consegue crédito bancário que lhe permita continuar o seu regular funcionamento e manter a atividade em pleno", lê-se na proposta de plano de recuperação.

Ainda assim, a administração considera que a empresa é viável, "não obstante se impor uma reestruturação do seu passivo e a retoma da atividade, que se pretende seja feita em pleno".

Os créditos reclamados no PER rondam os 14,6 milhões de euros, mas a maior fatia (13,4 milhões de euros) está nas mãos da banca, nomeadamente do Montepio Investimento e da Caixa Económica Montepio Geral.

A Segurança Social (269 mil euros) e a Fazenda Nacional (213 mil euros) são outros dos maiores credores.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas