CDS-PP acusa Governo de degradar condições de prestação de serviços na Saúde
DATA
23/01/2017 10:53:32
AUTOR
Jornal Médico
CDS-PP acusa Governo de degradar condições de prestação de serviços na Saúde

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, acusou o Governo de estar a degradar as condições de prestação de serviços na área da Saúde e, por outro lado, a aumentar as dívidas naquele setor.

“Lamentamos neste momento o trabalho que está a ser feito neste momento por parte do Governo, que como sabemos aumenta as dívidas na área da Saúde e degrada as condições de prestação de serviços”, afirmou Assunção Cristas, à margem da primeira sessão da Academia de Líderes da Juventude Popular, que decorreu hoje de manhã na Junta de Freguesia de Aldoar, cidade do Porto, com uma aula dada por António Lobo Xavier.

A líder do CDS-PP recordou que o acesso ao Serviço Nacional de Saúde é um “direito constitucional” e afirmou que o seu partido tem como objetivo “garantir que os utentes tenham um serviço público de qualidade, um serviço em rede com agentes do setor social e do setor privado, mas que se enquadre numa prestação de serviços de qualidade de saúde”.

“Neste momento estamos muito preocupados em verificar as razões pelas quais há uma diminuição dos serviços na área da saúde, com os utentes a ficarem horas e horas à espera da prestação de cuidados, as listas de espera a aumentar, os enfermeiros e os médicos a queixarem-se, as dificuldades que têm para exercer o seu trabalho e isso é matéria que estamos a acompanhar com muita proximidade”, referiu.

Assunção Cristas recordou que esteve a visitar hospitais de Lisboa, Cascais, Algarve e que irá ainda deslocar-se aos hospitais do Porto “brevemente”, para garantir que os utentes tenham “um serviço público de qualidade, um serviço em rede também com agentes do setor social e do setor privado, mas que se enquadre numa prestação de qualidade de serviços de saúde”.

Questionada se o CDS-PP irá votar contra eventuais propostas de novas parcerias público-privadas no setor da Saúde, Assunção Cristas declarou que essas matérias “não está neste momento em cima da mesa”.

A edição desta semana do Expresso noticia se a esquerda forçar uma votação parlamentar das parcerias público-privadas, o PSD votará ao lado de PCP e BE.

Assunção Cristas foi hoje convidada para abrir no Porto a primeira aula da Academia Juventude Popular (JP) do CDS-PP, uma iniciativa que se vai repetir uma vez por mês nos próximos seis meses e que contou hoje com a participação de António Lobo Xavier que veio falar sobre o “modelo de estado nação” e que continua a “ser atual discutir modelos de sociedade diferentes”.

Lobo Xavier falou também de Donald Trump, novo presidente dos EUA, e da sua proposta “mercantilista” que se julgava “ultrapassada”, mas que "regressou".

“Julgávamos que essa doutrina tinha sido abandonada há um século, mas voltou agora com o Trump”, referiu Lobo Xavier.

Cristas desafiou, por seu turno, os participantes na Academia da JP a nunca descurarem a sua formação, porque, disse, a “política não é uma profissão”.

“A política não é uma profissão, é serviço. A política é um desafio para muitos, mas tem-se vida profissional antes e depois, portanto preparem-se bem, porque o vosso trabalho pode ser tanto melhor se se prepararem e esturrem”, aconselhou aquela dirigente.

A "hiperventilação" dos Cuidados de Saúde Primários
Editorial | Joana Romeira Torres
A "hiperventilação" dos Cuidados de Saúde Primários
A Organização Mundial de Saúde alude que os Cuidados de Saúde Primários (CSP) são cruciais para a obtenção de promoção da saúde a nível global. Neste sentido, a Organização Mundial dos Médicos de Família (WONCA) tem estabelecido estratégias que têm permitido marcar posição dos mesmos na comunidade médica geral.

Mais lidas