ARS promete reforçar Centro de Saúde de Carnide com contratação de dois médicos

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) assegurou ontem que irá reforçar até junho a Unidade de Saúde Familiar da Pontinha (Odivelas), localizada em Lisboa, com mais dois médicos, em resposta às reivindicações dos utentes daquele serviço. O centro de saúde de Carnide, localizado no concelho de Lisboa, foi inaugurado em 2014 e alberga, no mesmo edifício, desde 2015, as Unidades de Saúde Familiar (USF) de Carnide e da Pontinha (no concelho vizinho de Odivelas), servindo cerca de 30 mil utentes.

Várias dezenas de utentes da freguesia da Pontinha manifestaram-se, durante a manhã de ontem, em frente ao centro de saúde de Carnide para exigir a contratação de mais profissionais, nomeadamente médicos, enfermeiros e assistentes operacionais para aquela que é a sua USF.

Numa resposta escrita enviada à Agência Lusa, fonte da ARSLVT afirmou que em junho a USF da Pontinha irá ser reforçada com dois novos médicos, "resolvendo-se assim o problema dos utentes sem médico de família" naquela freguesia.

A mesma nota refere ainda que "muito em breve" irão realizar-se obras no centro de saúde de Carnide para criar espaços autónomos entre as duas USF, nomeadamente salas de espera.

Atualmente, os utentes da USF de Carnide e da Pontinha aguardam por consulta numa sala de espera comum.

De acordo com a Comissão de Utentes de Saúde da Freguesia da Pontinha, o atendimento é caótico e muitos utentes têm de esperar “cerca de três horas para solicitar uma requisição para a realização de análises clínicas e mais de uma hora e meia para as levantar”.

Os utentes exigem que a Pontinha volte a ter um centro de saúde próprio.

DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas