ARS promete reforçar Centro de Saúde de Carnide com contratação de dois médicos

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) assegurou ontem que irá reforçar até junho a Unidade de Saúde Familiar da Pontinha (Odivelas), localizada em Lisboa, com mais dois médicos, em resposta às reivindicações dos utentes daquele serviço. O centro de saúde de Carnide, localizado no concelho de Lisboa, foi inaugurado em 2014 e alberga, no mesmo edifício, desde 2015, as Unidades de Saúde Familiar (USF) de Carnide e da Pontinha (no concelho vizinho de Odivelas), servindo cerca de 30 mil utentes.

Várias dezenas de utentes da freguesia da Pontinha manifestaram-se, durante a manhã de ontem, em frente ao centro de saúde de Carnide para exigir a contratação de mais profissionais, nomeadamente médicos, enfermeiros e assistentes operacionais para aquela que é a sua USF.

Numa resposta escrita enviada à Agência Lusa, fonte da ARSLVT afirmou que em junho a USF da Pontinha irá ser reforçada com dois novos médicos, "resolvendo-se assim o problema dos utentes sem médico de família" naquela freguesia.

A mesma nota refere ainda que "muito em breve" irão realizar-se obras no centro de saúde de Carnide para criar espaços autónomos entre as duas USF, nomeadamente salas de espera.

Atualmente, os utentes da USF de Carnide e da Pontinha aguardam por consulta numa sala de espera comum.

De acordo com a Comissão de Utentes de Saúde da Freguesia da Pontinha, o atendimento é caótico e muitos utentes têm de esperar “cerca de três horas para solicitar uma requisição para a realização de análises clínicas e mais de uma hora e meia para as levantar”.

Os utentes exigem que a Pontinha volte a ter um centro de saúde próprio.

O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo
Editorial | Jornal Médico
O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo

O Novo Livro Azul da APMGF é um desejo e uma necessidade. Volvidos 30 anos é fácil constatar que todos os princípios e valores defendidos no Livro Azul se mantêm incrivelmente atuais, apesar da pertinência do rejuvenescimento que a passagem dos anos aconselha. É necessário pensar, idealizar e projetar a visão sobre os novos centros de saúde, tendo em conta a realidade atual e as exigências e necessidades sentidas no futuro que é já hoje. Estamos a iniciar um novo ciclo!

Mais lidas