SNS vai ter 'clínica' para exames de diagnóstico em Lisboa ainda este ano
DATA
20/02/2017 10:51:36
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




SNS vai ter 'clínica' para exames de diagnóstico em Lisboa ainda este ano

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) vai ter este ano um centro de diagnóstico em Lisboa para realizar exames, respondendo a pedidos de hospitais e centros de saúde.

Na Comissão Parlamentar de Saúde desta sexta feira, o ministro da Saúde anunciou que irá abrir, ainda durante 2017, o primeiro centro integrado de diagnóstico e terapêutica do SNS, que irá realizar vários tipos de exames e análises.

“Vai ser instalado no Parque do [Hospital] Pulido Valente este ano. Estão a ser feitos os estudos preparatórios. Numa linguagem simples, é uma clínica de diagnóstico do SNS. Pretende-se ter no país vários núcleos destes, onde se concentrem respostas de meios complementares de diagnóstico e terapêutica para responder aos hospitais que criem este modelo e também para os centros de saúde”, afirmou o ministro Adalberto Campos Fernandes em declarações aos jornalistas no final da sessão com os deputados.

Campos Fernandes recordou que está a ser finalizada legislação no sentido de reduzir o tempo máximo de resposta garantida no caso das cirurgias, estabelecendo também tempos máximos para os meios complementares de diagnóstico.

Vai passar a ser possível que, à semelhança do que acontece nas cirurgias, os meios de diagnósticos possam ser também feitos como produção adicional, que é a que excede a produção base contratualizada com os hospitais do SNS.

Os hospitais contratualizam com as administrações de saúde a sua produção, estipulando metas para a produção base e para a produção adicional. A produção que vai além do valor base contratado favorece o hospital em termos de financiamento.

A criação deste centro de diagnóstico do SNS pretende, segundo o ministro, ajudar a contornar o problema que ainda constitui a realização de exames complementares nos serviços públicos de saúde.

DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas