Bayer iniciou a recolha voluntária devido a problema na embalagem
DATA
20/02/2017 12:14:52
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Bayer iniciou a recolha voluntária devido a problema na embalagem

A Bayer iniciou uma recolha voluntária de lotes isolados de Aspirina granulado, produzido na fábrica da Bayer em Bitterfeld, Alemanha, de acordo com os procedimentos da empresa. A empresa garante não existirem preocupações de segurança significativas associadas à ingestão de qualquer dos lotes envolvidos nesta ação.

A Bayer iniciou a retirada após a identificação de defeitos de selagem na saqueta, em 2 lotes desses produtos, que podem levar à descoloração e / ou alterações no aspeto físico e que podem eventualmente causar degradação prematura da Aspirina granulado.

Os lotes afetados podem ser identificados através do seu nome (Aspirina granulado 500 mg), do tamanho do pacote (saqueta 10 unidades) e dos lotes BTT 1B5 L e BTT 16 PO. A Bayer determinou que esta recolha fosse classificada como Classe III (afectando apenas Armazenistas e Farmácias).

Como acontece em todas as recolhas, os medicamentos recolhidos são creditados aos distribuidores, às farmácias, aos locais de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica. Os utentes que possuam embalagens dos lotes recolhidos poderão devolvê-los às farmácias para troca por uma embalagem idêntica.

Os Consumidores que tenham questões relativamente a esta recolha ou à utilização deste medicamento devem contactar 21 417 21 21 ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

“A Bayer está empenhada em fornecer produtos seguros e totalmente comprometidos com a mais alta qualidade a todos os consumidores e trabalha permanentemente para assegurar um caminho seguro para o futuro com os stakeholders relevantes“, defende a empresa reiterando que “a segurança dos doentes é uma prioridade“.

DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas