Vacinas gratuitas da Câmara alargadas a todos os recém nascidos em Santo Tirso
DATA
22/02/2017 10:13:11
AUTOR
Jornal Médico
Vacinas gratuitas da Câmara alargadas a todos os recém nascidos em Santo Tirso

A Câmara Municipal de Santo Tirso vai alargar a atribuição das vacinas Rotarix ou Rotateq a todas as crianças com menos de dois anos nascidas no concelho. A medida foi anunciada esta terça-feira pelo presidente da autarquia, Joaquim Couto, na apresentação do Plano Municipal de Saúde de Santo Tirso, que envolve 85 instituições públicas e privadas.

Depois de, em 2015, a Câmara Municipal de Santo Tirso ter criado uma medida que apoiava as famílias com os rendimentos mais baixos do concelho na aquisição de vacinas não contempladas no Plano Nacional de Vacinação, a autarquia avança, este ano, com a generalização da medida.

“São vacinas que podem custar até 300 euros. Por isso, e porque são quase sempre recomendadas pelos pediatras, consideramos que poderíamos ir mais longe neste apoio às famílias de Santo Tirso e comparticipar as vacinas a 100 por cento, para todas as crianças até dois anos nascidas no concelho”, justificou Joaquim Couto.

Com esta medida, o número de crianças abrangidas pela vacinação passará dos 100 para os 500. “Trata-se de uma decisão que ajudará ainda mais as famílias do nosso concelho, dado o seu impacto social e na saúde pública”, enfatizou.

Mas esta não é a única novidade do Plano Municipal de Santo Tirso, apresentado esta quarta-feira no Centro Cultural Municipal de Vila das Aves, e que tem como objetivo, como explicou Joaquim Couto, “melhorar o sistema de saúde municipal, com uma forte dimensão social e ambiental”, agregando um conjunto de medidas das quais se destacam a saúde oral, a saúde visual, a saúde física e alimentar e a saúde mental.

No âmbito do Plano Municipal de Saúde, o Hospital de Santo Tirso irá ter, em breve, consultas de saúde oral, para as quais será encaminhada toda a população do concelho, dos mais novos aos mais velhos, identificados pelos serviços da ação social da autarquia. Os custos das consultas serão assegurados pela Câmara.

Já na saúde oftalmológica, o presidente da autarquia revelou que estão a ser negociadas com as óticas do concelho o estabelecimento de parcerias, com o objetivo de comparticiparem a atribuição de óculos a crianças. Segundo Joaquim Couto, foram realizados rastreios nas escolas do concelho e há casos em que se identificou a necessidade da utilização de óculos.

O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo
Editorial | Jornal Médico
O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo

O Novo Livro Azul da APMGF é um desejo e uma necessidade. Volvidos 30 anos é fácil constatar que todos os princípios e valores defendidos no Livro Azul se mantêm incrivelmente atuais, apesar da pertinência do rejuvenescimento que a passagem dos anos aconselha. É necessário pensar, idealizar e projetar a visão sobre os novos centros de saúde, tendo em conta a realidade atual e as exigências e necessidades sentidas no futuro que é já hoje. Estamos a iniciar um novo ciclo!

Mais lidas