OM: Médicos com vontade de emigrar aumentaram 30% em 2016
DATA
14/03/2017 11:01:16
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

OM: Médicos com vontade de emigrar aumentaram 30% em 2016

O bastonário da OM, Miguel Guimarães, tornou ontem públicos dados que mostram que, em 2016, foram cerca de 600 os médicos que pediram "passaportes" para emigrar – uma subida de 30% em relação ao ano anterior.

"Os dados que temos são muito preocupantes. No ano passado, podem ter emigrado mais médicos do que em 2015", referiu Miguel Guimarães durante uma visita ao Hospital de Barcelos.

De acordo com o bastonário, a OM ainda está a contactar, um a um, os médicos que em 2016 pediram os certificados indispensáveis para exercerem noutros países, para aferir o número concreto de profissionais que acabaram mesmo por emigrar. No entanto, Miguel Guimarães considera que o simples aumento de pedidos de certificados deve ser suficiente para que o Governo pense, com urgência, “numa forma eficaz" para fixar estes profissionais em Portugal.

"Enquanto o Governo não perceber que a saúde precisa de reformas e que estas reformas podem ajudar a melhorar o Serviço Nacional de Saúde (SNS), não conseguiremos evoluir positivamente", sublinhou o responsável, vincando que "um dos grandes problemas" do setor em Portugal é a dificuldade em fixar jovens médicos no SNS.

"Não é apenas uma questão de dinheiro. O mais importante é as pessoas serem respeitadas", disse ainda o bastonário. Miguel Guimarães alertou igualmente para a saída de médicos do SNS para o privado. Segundo adiantou, o SNS tem neste momento "um grande défice" de médicos, ao mesmo tempo que cerca de 12 mil estão já a trabalhar em exclusividade no privado.

"É claramente necessário investir mais na Saúde", reiterou.

DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas