Alargado prazo para apresentação de propostas para Centro de Saúde da Nazaré
DATA
23/05/2017 09:45:10
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Alargado prazo para apresentação de propostas para Centro de Saúde da Nazaré

A Câmara Municipal da Nazaré vai prolongar por mais 10 dias a apresentação de propostas para a construção de Centro de Saúde e de um Centro Escolar na sequência da impugnação administrativa dos concursos contestados por um dos concorrentes.

A impugnação administrativa dos dois concursos, ambos em fase de apresentação de propostas, foi interposta pela empresa Nicolau de Macedo SA, alegando ter havido “uma alteração de critérios” de adjudicação das obras do Centro de Saúde e do Centro Escolar de Famalicão.

A empresa alega ter sido definido como critério de adjudicação “o mais baixo preço”, mas o júri do concurso refuta a crítica, numa deliberação a que a Agência Lusa teve acesso, defendendo que critério definido foi, desde o início do concurso “a proposta economicamente mais vantajosa”.

Apesar de considerar a impugnação administrativa “improcedente”, a Câmara deliberou hoje “prolongar o prazo de apresentação de propostas por mais dez dias”, cotados a partir de terça-feira, para que “todos os concorrentes tenham mais tempo para fundamentar as propostas, em igualdade de circunstâncias”, explicou hoje, durante a reunião do executivo, a chefe de divisão administrativa e financeira, Helena Pola.

O Centro Escolar de Famalicão representa um investimento de 1,2 milhões de euros colocados a concurso depois de a autarquia ter visto aprovada a candidatura a fundos comunitários.

O Centro de Saúde da Nazaré representa um investimento de 1,2 milhões de euros, suportados pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) e com uma comparticipação comunitária de 85%.

O novo edifício será construído num terreno cedido pela Câmara e substituirá um pré-fabricado dos anos 80 onde funcionam as unidades de saúde Global e Nazareth, com um total de nove médicos e cerca de 20 mil utentes inscritos.

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas